Literatura

Resenha: “Do Inferno” – Alan Moore e Eddie Campbell

Do Inferno já era uma leitura requisitada por mim há anos. Desde que vi a primeira resenha sobre essa HQ o tema me interessou bastante, pois prometia trazer tudo que eu gosto em uma única obra: muito sangue, terror psicológico e uma grande pitada de não-ficção.

E óbvio que encontrei. Encontrei isso e muito mais do que poderia imaginar, já que a HQ, além de trazer uma história rica em informações e fatos, aborda temas que geram extensas reflexões e ótimas ideias para compartilhar.

Título: Do Inferno
Roteirista: Alan Moore 
Artista: Eddie Campbell
Quantidade de páginas: 592
Editora Veneta
Gênero:
 Ficção / Terror / Suspense e Mistério
Ano: 2014
Skoob: Clique Aqui
Compre: Amazon
Minha classificação: ★★★★★ (5/5)

A história por trás dos assassinatos de Jack, o Estripador

Em meados do ano de 1888, começaram a surgir corpos mutilados – e outros destroçados – de prostitutas; mulheres essas que eram pobres e que muitas vezes não tinham dinheiro suficiente nem mesmo para conseguir um lugar para pernoitar ou para comprar um prato com comida. Mulheres que eram vistas como pecadoras, sujas e/ou loucas; mulheres que não tinham o direito de uma opinião própria ou de uma oportunidade para uma vida digna; mulheres esquecidas, mas ao mesmo tempo usadas, pela sociedade patriarcal.

Esse acontecimento, como muitos sabem, deve-se ao assassino Jack, O Estripador. Muitas dúvidas e suposições surgiram – e ainda hoje surgem – sobre o caso, já que até hoje não se sabe quem realmente foi o estripador, sendo assim nunca pego pela polícia. Mas na HQ Do Inferno teremos um gostinho de uma certa explicação sobre o que poderia realmente ter acontecido e qual seria o verdadeiro significado por trás das mortes dessas mulheres.

Alan Moore, assim como fica explícito ao final da HQ através de um apêndice extenso e bastante descritivo onde explica o que é ficção ou não-ficção dentro de sua obra, após uma pesquisa aprofundada escreveu o roteiro de Do Inferno mesclando fatos históricos com fantasias e teorias, resultando em uma obra fantástica, rica em detalhes e repleta de reflexões.

Aqui é explorado a teoria em que envolve diretamente a rainha Vitória no assassinato das prostitutas. Quando o príncipe Albert Victor viaja para longe da família real, ele se refugia em uma pequena cidade e conhece Annie Crook, uma moça que logo se torna a sua grande paixão. O jovem casal se apaixona, se casa e se tornam pais de uma menininha adorável, mas sem conseguir viver por muito tempo os frutos de seu amor, já que Albert é descoberto e levado imediatamente de volta para casa, deixando assim a esposa e a filha ilegítima à mercê das mãos da rainha.

É claro que essa “herdeira” e a própria mãe não são uma coisa boa para os negócios da rainha Vitória, e por isso Annie Crook torna-se o primeiro alvo de Sir William Gull, um dos médicos pessoais da rainha e que logo tornou-se o seu mandante principal para afazeres futuros, os quais o tornariam Jack, o Estripador.

Reprodução: Biblioteca Pessoal

Uma HQ feita para os fortes

Com uma arte extremamente expressiva, chocante e bela, a HQ Do Inferno encanta ao mesmo tempo em que cria repulsa. As cenas de assassinato são fortes e intensas, nos mostrando cada detalhe e passo da deformidade dos corpos das mulheres, e isso é claustrofóbico, assustador e destruidor, principalmente para nós leitoras.

Muitas vezes eu me senti mal com a narrativa, atingida e impactada intimamente por aquelas mulheres assassinadas. Senti a dor na minha pele, senti o sofrimento e os gritos em cada parte do meu corpo. Senti como se eu mesma estivesse ali, estirada nas páginas, exposta, mutilada.

Por ser uma obra densa e detalhista, mesmo sendo imersiva o ritmo de leitura é lento, pois é necessário que o leitor preste atenção em cada detalhe da arte, absorva cada diálogo embasado por filosofias e reflexões, e sinta todo o horror e abominação que a história transmite. A narrativa torna-se enriquecedora, com muito assunto para absorver e pensar.

E aqui abro um adento para uma informação importante: há cenas detalhadas dos assassinatos e de sexo. Você pode até pensar que por ser uma HQ essa parte da narrativa será amenizada, mas está enganado, pois é um desenho feito de uma forma crua e forte. Esteja psicologicamente preparado para iniciar a leitura.

Reprodução: Biblioteca Pessoal

Uma experiência singular e enriquecedora

Que HQ incrível! Alan Moore consegue trazer uma história intensa, asfixiante e perturbadora sobre o Jack, o Estripador; Eddie Campbell consegue expressar todos esses sentimentos de forma bela – e aterradora – em seus traços que são tão realistas à ponto de me deixar enojada, enjoada, com as partes de assassinatos. Achei todo o trabalho desses dois homens simplesmente fenomenal e maravilhoso, mas de um jeito mórbido e aflito.

Sempre procuro por obras que me tirem da zona de conforto e me façam sentir sensações angustiantes ao mesmo tempo em que tragam na narrativa algo para reflexão, e isso aconteceu com maestria aqui. Ultimamente eu havia feito leituras que traziam diálogos filosóficos e que isso me deixava cansada da narrativa, isso fazendo, às vezes, odiá-la. Mas com essa HQ percebi que o problema não estava em mim, mas, sim, no que eu consumia, já que com Do Inferno eu consegui aproveitar essa parte da história e desfrutar de pensamentos absurdos, enriquecedores.

Também foi incrível ler ao final o apêndice e saber como a ficção e os fatos foram mesclados nessa história. Diria até que é uma obra-prima da Literatura de tão fantástica e completa que é. Só tenho elogios, aliás. E, ao meu ver, todos que gostam do tema e têm estômago para o assunto deveriam dar uma chance para se maravilhar com esse trabalho fantástico.


💻 Me acompanhe nas redes sociais:
FanPage | Skoob | Instagram | Pinterest

Receba todas as nossas novidades:

4 thoughts on “Resenha: “Do Inferno” – Alan Moore e Eddie Campbell”

  1. Oiieee

    Não conhecia essa HQ, parece ser uma experiência única, primeiro pela estória impactante que apresenta, focado em jack o Estripador , suas vítimas e até a rainha Vitória. Pelo que pude notar a obra é detalhista ao ponto de incomodar com cenas fortes, no omento confesos que não sei se leria, pois to mais na busca de leituras levinhas. Ainda assim, a dica é boa para quem busca um terror marcante, que mescla fatos históricos com ficção das boas pelo que parece.

    Beijos, Ivy

    http://www.derepentenoultimolivro.com

  2. Olá!

    Acho muito interessante toda a história/mistério de Jack. Li um livro que fala sobre isso, que é aquele suposto Diário e achei bizarro tudo aquilo.
    Não gosto muito de HQ, então não leria este livro facilmente, ms para quem ama tudo que envolve o Estripador acho uma ótima dica.

    kzmirobooks.com

  3. Oi Thainá!!

    Menina achoa tão interessante como é possível recriar uma nova história a partir de uma que já existe eu acho isso de uma inteligencia impar, principalmente quando você consegue fazer sua versão da história soar real, adoro fazer leituras assim. Essa HQ e nem conhecia, mas, sinceramente acredito que não tenho estomago para essa leitura hahah.

    Beijos!
    Eita Já Li

  4. Acabei pegando essa HQ emprestada para ler, mas ainda quero uma edição para chamar de mim.
    Porque ela é linda!!! Amei demais todos os detalhes.
    E sim, a história é bem forte e exige concentração, são vários assuntos que me nos levam a reflexão <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *