Literatura

#12mesesdePoe: A Queda da Casa de Usher + O Palácio Assombrado

Reprodução: Google


A Queda da Casa de Usher
Minha classificação: ★★★★ (4/5)

O Palácio Assombrado
Minha classificação: ★★★ (3/5)

Autor: Edgar Allan Poe
Agora em 2017, no projeto 12 Meses de Poe, iremos ler em conjunto um conto e um poema por mês, ou seja, também nos aventuraremos nos poemas do Poe, e para mim será a primeira vez que terei contato com esse tipo de texto do autor. Me arriscarei na resenha de ambos, e espero despertar a curiosidade de vocês e servir como um incentivo para mergulhar na escrita de Edgar Allan Poe.


Conto: A Queda da Casa de Usher
O conto inicia com o nosso narrador-personagem em frente à Casa de Usher, um palácio pertencente a um conhecido de infância, nos descrevendo os aspectos externos da residência e o lago que há ao lado. Logo em seguida ele já explica o motivo de sua presença ali: Roderick Usher, herdeiro do palácio, convocou sua visita imediata ao local, pois está muito doente e acredita que aquela visita trará para si mais ânimo e melhoras em sua saúde. 
Com o passar dos dias os dois homens vão criando uma aproximação e amizade maiores. Juntos eles leem livros, pintam quadros e escutam músicas tocadas no violão, mas tudo de acordo com a disposição de Usher e com o que sua saúde permite. Enquanto isso, Lady Madeline, irmã do proprietário e também residente da casa, que já estava doente (e ainda mais do que o irmão) ia piorando cada vez mais, até inevitavelmente falecer alguns dias depois.
Antes de sepultar o corpo da irmã, Usher decidiu que queria colocá-lo em uma cripta por alguns dias, exatamente dentro das paredes da casa. O amigo narrador, mesmo achando a ideia puramente louca, acatou com a vontade do doente e ajudou-o no serviço. Embora fosse esperado que esse ato deixasse Usher de consciência mais leve, e talvez até melhor, isso trouxe resultados perturbadores para a sua mente, e posteriormente para a do amigo visitante.

“(…) e em pouco tempo me vi, ao cair das sombras do anoitecer, diante da melancólica Casa de Usher.”

Poema: O Palácio Assombrado
Este poema é citado pelo narrador em A Queda da Casa de Usher e criado pelo personagem Roderick Usher do mesmo conto. Usher ao mesmo tempo que cria o poema já o recita para o amigo, e em suas palavras fica claro a conexão que há com a sua moradia. 
O poema fala (mesmo que não tão diretamente) sobre a Casa de Usher. Primeiro se expressa dizendo como era o palácio nos tempos passados e o modo que era visto pelos vizinhos, comparando-o até mesmo com o habitar de anjos, e depois confronta essa ideia com os tempo atuais e em como o palácio é visto atualmente, de forma melancólica e negra.

“(…) odiosa turba se precipita sem cessar,
rindo — mas sem sorrir nunca mais.”



Minha opinião
Sobre o conto: 
O projeto, para mim, começou com uma releitura. Eu já havia lido o conto A Queda da Casa de Usher quando tive o meu primeiro contato com a escrita do Poe através de uma antologia há uns 2 anos. Para falar a verdade não lembrava de quase nada do enredo, então a experiência foi tão boa quanto na primeira vez. Eu consegui me surpreender com os acontecimentos, e inclusive com o desfecho e o final.
Eu adoro o modo único de escrita do Poe e a essência que ele coloca em cada um de seus textos, deixando sempre o leitor apreensivo com o que pode acontecer, “sem ar” por não saber o que virá em seguida, surpreendendo e suprimindo as expectativas. Especificamente neste conto há durante todo o tempo uma sensação de medo, tanto do Usher, seja por causa de seu aspecto doente ou sua loucura cada vez mais presente, como também da própria casa, que é descrita como muscosa e amedrontadora. Eu me senti na própria pele do Roderick Usher, senti o medo e a loucura que envolviam o personagem, e me vi assustada ao chegar nas últimas páginas e me deparar com aqueles sons semelhantes ao da história que estava sendo contada pelo narrador ao amigo.

Sobre o poema:
Foi meu primeiro contato com um poema do Poe, e acredito que por ter conexão com o conto, que li no mesmo dia, tive uma facilidade maior em entender o texto e sentir as palavras, principalmente por saber o estado de espírito em que se encontrava quem escreveu, isto ajudou a ter uma experiência mais completa na leitura de ambos.
O autor escreve de maneira poética e melancólica sobre o palácio, e mais uma vez somos introduzidos aos detalhes da casa e nos sentimos mais próximos à família Usher. Também é interessante percebermos (e a discussão no grupo me ajudou nesse ponto) o quanto os irmãos Usher se conectam ao seu palácio, as características deles e da herança de família se mesclam, se tornando um só. É incrível como o Poe faz essa relação e descreve-a em tantos detalhes, às vezes imperceptíveis. Até mesmo a rachadura na casa pode ter um significado maior, pois fica explícito que o local não tem danos e nem vestígios de um possível deslocamento, e uma conexão íntima com a relação de Roderick Usher e Lady Madeline.

Participe do projeto conosco: 

30 thoughts on “#12mesesdePoe: A Queda da Casa de Usher + O Palácio Assombrado”

  1. Poe = ♥ Apesar de eu gostar bastante desse conto, prefiro outros como O retrato oval e O gato preto – aliás, tenho quase certeza de que cê vai gostar desse!

    Dos poemas dele não li quase nada, mas me interesso. Quem sabe ainda este ano, né? Pretendo ler mais Poe mesmo.

    ;*

    1. Às vezes é interessante sair da sua zona de conforto. Eu fiz resenha de todos os contos que li no ano passado para o projeto, se quiser, dar uma olhada neles e aquele que te chamar mais atenção você dá uma chance para o conto, quem sabe você não goste?

  2. Eu adoro esse conto, e fiquei bem contente que o projeto 12 meses de Poe se reinventou pra mais um ano! Assim como você, eu também não tenho muito contato com os poemas do autor (fora O Corvo e mais alguns). Não vou me comprometer a participar do projeto esse ano, porque por motivo de força maior precisei flopar no finzinho do ano passado, mas estou animada para acompanhar as resenhas!
    Sentimentaligrafia

  3. Achei esse projeto genial.
    Apesar de ter curiosidade de ler os trabalhos do Poe, acabo evitando. As vezes fico tão impressionada com histórias de terror que tenho dificuldades pra dormir depois da leitura. hahahaha

    Beijos

    1. Se eu já acho a tradução um pouco complicado de ler, por causa das palavras desconhecidas e "antigas", imagina lendo em inglês, é realmente um grande desafio, hahaha. Tenta ler algum conto ler em português primeiro e depois você arrisca no original, talvez isso dê um up no seu animo e você se interesse ainda mais pelos contos do autor.

  4. Conheço a fama de Edgar Alan Poe o suficiente para me fazer querer ler trabalhos dele. Mas minha lista anda tão abarrotada que ainda não consegui chegar nele. Tenho um livro dele na edição da Melhores Livros do mundo, são vários contos, estou louca para lê-los, não sei se este esta no meio. Poesia é algo com a qual não tenho muita afinidade, nem em ler nem em escrever, vou tentar ler este para ver minha reação.

    Bites!
    Tary Belmont

    1. Tenta colocar sim ele na sua lista desse ano! Vai que você goste da sua escrita e de suas histórias e já se torne fã, aí já vai querer ler mais e mais coisas dele, hahaha. Eu também não tenho afinidade com poesias, mas acredito que é uma experiência diferente, então por que não, né? Vale a pena tentar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *