Literatura

Resenha: “Voe para longe dessas folhas mortas” – Rebecca Jorge

Falar sobre luto não é um assunto fácil ou simples para mim. Eu nunca perdi alguém ao ponto de me sentir despedaçada e sem perspectivas de um futuro na minha vida. Porém já perdi três pessoas que me fazem falta até hoje e que deixaram um buraco dentro de mim, um vazio inexplicável; pessoas essas que eu ainda amo e que sei que amarei para sempre.

Por isso ler sobre o assunto nem sempre é agradável, mas vejo como algo necessário, pois o tema deve ser, sim, discutido, principalmente entre os mais jovens que ainda possam o ver como uma espécie de tabu. Livros assim são essenciais para que novas visões surjam e para que todos nós aprendamos a sentir, mas sem deixar de viver, as perdas durante a vida.

Título: Voe para longe dessas folhas mortas
Autora: Rebecca Jorge
Quantidade de páginas: 90
Editora Sinna
Gênero:
 Ficção / Drama / Romance LGBT
Ano: 2020
Skoob: Clique Aqui
Compre: Editora Sinna
Minha classificação: ★★★★ (4/5)
* E-book cedido pela editora

Como voar para longe das folhas mortas?

Lucca vem de uma família de renome e famosa dentro da área da moda. Seguindo um caminho não muito longe da mãe e da irmã, ele conquinstou uma carreira frutífera como pintor, sendo assim muito conhecido pelos amantes da arte.

Porém há três anos Lucca tornou-se um homem recluso, preso em sua própria mente, com uma crescente tristeza e depressão os consumindo. Três anos atrás a sua irmã Aurora, que era sua rocha e sua companheira inseparável, se suicidou, assim despedaçando em pedaços a vida e o coração de Lucca.

Agora, estando sozinho e solitário, ele é cuidado e vigiado por Liza, sua prima, que dedica parte de seu tempo para acalentar e garantir que Lucca continue respirando. Também será Liza quem procurará um assistente para o primo, já que não confia mais em Lucca sozinho, sem uma rotina ou cuidados pessoais. E é então que Bernardo entrará na vida de Lucca e a colocará de pernas para o alto, mostrando para o pintor que o luto não deve ser prolongado para sempre e que ser feliz não é uma traição com a morte de Aurora.


“E essa é a maior verdade que alguém pode alcançar. Ser você mesmo, aceitar seus medos, o passado, as dores, e tentar ser feliz acima disso.”

Um novo começo, uma nova liberdade

Voe para longe dessas folhas mortas é um livro que aborda sobre o luto, as perdas e a superação; é sobre querer e desejar viver novamente, se impor contra a solidão e perceber que ainda há muito para ser feliz; é sobre se permitir ser feliz e sobre não deixarmos quem amamos ir embora, mas, sim, guardá-los dentro do coração e das lembranças.

Com uma escrita poética e rápida de se ler, sendo leve na medida adequada e respeitosa com o tema abordado, o livro traz uma narração em 1° pessoa à partir dos olhos de Aurora, que ainda se encontra vagando em Terra, como espírito, observando o irmão.


“Eu morri não por ter medo ou por não querer mais viver; eu morri porque não suportava continuar existindo e me sentindo um peso na vida daqueles que eu amei de verdade. Pensei que os libertaria. Foi exatamente o contrário.”

Um romance LGBT delicado e singelo

Lucca e Aurora eram tudo um para o outro. Perder a irmã fez com que Lucca pensasse que era responsável por seu suicídio por imaginar não ter a ajudado o suficiente. É claro que em nosso íntimo sabemos que a culpa não é dele e de ninguém e durante toda a leitura tudo que mais desejamos é que ele saia desse círculo solitário e pare de se culpar; tudo que desejamos é que ele encontre a felicidade e a liberdade novamente, sem precisar deixar o amor pela irmã de lado.

Lucca só percebe isso quando conhece Bernardo, que é quem mostra ao pintor – e a nós leitores – que existe sim pessoas que são como anjos, pessoas que podem nos salvar, nos ajudar e nos guiar, sendo assim uma âncora que puxa Lucca das profundezas e o faz respirar sem dificuldade novamente.

Outro ponto positivo realçado no livro é a importância da ajuda psicológica e emocional. É bonito como a autora retrata a necessidade de não haver pressa nos cuidados emocionais e em como escutar é um ato importantíssimo para quem precisa ser ouvido. É preciso ter calma, paciência e atenção, pois a melhora não surge de um dia para o outro e se dá com pequenos passos de cada vez.

Voe para longe das folhas mortas foi um livro que me tocou e me deixou esperançosa com o futuro e com as pessoas. É uma obra delicada que aborda sobre suicídio e depressão, então esteja ciente disso ao iniciar a leitura. Ademais, é uma história que recomendo a leitura e que gostaria que todos pudessem lê-la ao menos uma vez na vida.


💻 Me acompanhe nas redes sociais:
FanPage | Skoob | Instagram | Pinterest

Receba todas as nossas novidades:

10 thoughts on “Resenha: “Voe para longe dessas folhas mortas” – Rebecca Jorge”

  1. Olá, tudo bem? Realmente ler livros com temáticas de perdas, às vezes, me abala profundamente justamente por lembrar de coisas reais que já me aconteceram. Concordo com você que apesar da dor, devemos ler e explorar sobre, por isso anotei a dica. Gosto dessa sensibilidade e delicadeza no enredo, então fiquei curiosa em saber mais sobre. Ótima resenha!
    Beijos

    1. Obrigada pelo elogio, Ana!
      Espero que você dê uma oportunidade ao livro e se sinta tão tocada como eu me senti. Acredito que a autora tem uma maneira leve, mesmo com a intensidade do tema abordado, de escrever e isso ajuda para a leitura não ser extremamente pesada ou nos fazer mal. Espero que goste!

  2. Oi Thainá.

    Livros com assuntos sobre perdas e fazendo o personagem lidar com superação sempre são importantes para ler. Eu não conhecia este livro e através da sua opinião parece ser muito bom. Vou anotar a dica literária.

    Bjos

    1. Eu também acho, Kênia. Esse mês li três livros sobre luto e acredito que todos me trouxeram algum tipo de ensinamento sobre perdas e superação, as quais levarei sempre comigo. Super indico a leitura do tema!

  3. Confesso que capa e título já me chamaram atenção por sí só, mais saber sobre a temática e abordagem da obra me deixou ainda mais curiosa pela mesma, nunca li nada do gênero então anotei a dica por aqui!

    1. Eu acho essa capa linda! Tão delicada e combina perfeitamente com a história. É uma das capas mais lindas que já vi e que, com certeza, me faria ler o livro mesmo sem saber nada da história. Espero que goste do livro. <3

  4. Aqui em casa esse assunto sempre foi um tabu. É como se atraísse algo ruim, sabe? Mas sempre gostei de conversar a respeito. Não tenho religião, mas gosto de conhecer como diferentes culturas lidam com o luto. É doloroso, né? Mas faz parte da vida e um processo que temos que encarar -=/
    Não conhecia o livro, gostei da premissa e acredito que deve ser mesmo bem sensível.

    1. Na minha família nunca foi tabu, mas também nunca foi explorado. Como venho de uma família católica a morte já venho estipulada de algumas maneiras para mim, mas também gosto de saber como é para cada cultura, pois isso abre mais a minha mente e me faz ter mais “opções” sobre o que realmente acreditar. Gosto de livros com o tema justamente por isso, por me darem um leque maior do que pode haver por trás do luto e da própria morte.

    1. Essa capa é linda mesmo! Gosto quando misturam outros temas com o LGBT, mostrando assim os outros lados do personagem, além de sua orientação sexual, e esse livro faz isso muito bem, mesmo tendo um romance no meio – que, inclusive, adorei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *