Filmes Projetos

#ECDF: Adaptações pouco conhecidas

Reprodução: Nathalie Martins
Olá leitores!
Hoje é sexta-feira e com ela vem a segunda parte do projeto Explorando Contos de Fadas, em parceria com a Nat do faNATic. Para continuarmos a nossa exploração nesse mundo fantástico e mágico que tanto adoramos, o post de hoje será para indicar duas adaptações de contos de fadas, que não são tão conhecidas assim, mas que são maravilhosas e merecem o reconhecimento. Não esqueçam de ao final desse post, visitarem o canal da Nathalie e conferirem as indicações dela, que também são ótimas!

Reprodução: Google

Na trama, passada em 1810, após o naufrágio de seu navio, um comerciante financeiramente arruinado exila-se no campo com seus seis filhos, três rapazes e três moças. Apenas a filha mais nova, Bela, uma menina alegre e cheia de graça, fica entusiasmada com a vida rural. Quando o pai arranca uma rosa para a filha de um jardim encantado, ele é condenado à morte pelo proprietário do castelo, um monstro. A destemida Bela oferece-se no lugar do pai, mas uma vez dentro do palácio, encontra não a morte, mas sim uma vida estranha, cheia de magia, luxo e tristeza. Todas as noites, sem exceção, Bela janta com a fera, e todas as noites ela é visitada por sonhos que retratam a triste história dela. O gigante começa a se sentir cada vez mais atraído pela bela jovem, que usa toda a sua coragem para chegar ao fundo da maldição que atormenta seu estranho admirador.

A Bela e a Fera (La Belle et la Bête) é um filme francês de 2014, dirigido por Christophe Gans. O elenco conta com a atriz maravilhosa Léa Seydoux no papel de Bela, o ator Vincent Cassel na pele da Fera, André Dussollier como o pai de Bela, e entre outras ótimas atuações.
Lembro de ter assistido ao filme no ano passado e ter ficado admirada com a beleza da fotografia. É um trabalho lindo que mistura magia com contos de fadas, e o resultado não poderia ser menos do que incrível. A trilha sonora encaixa-se perfeitamente as cenas e embeleza ainda mais o clímax da história. 
Para quem conhece a história da Bela e a Fera, seja através do conto (escrito pelos irmãos Grimm ou a versão mais macabra) ou da animação da Disney, eu indico que confira este filme e conheça mais uma versão do romance. Além de se encantar com as atuações, a música e a fotografia, a história também tem seus detalhes diferentes da original e isso faz com que a magia seja ainda maior e mais sentida. Sei que irão adorar!

Reprodução: Google

Quando a China é invadida, o imperador decreta que cada família ceda um homem para o exército imperial. Com isso, uma jovem fica angustiada ao ver seu velho e doente pai a ser convocado, por ser o único homem da família. Ele precisa ir, mesmo sabendo que certamente morrerá, para manter a honra da família. Assim, sua filha rouba sua armadura e espada, se disfarça de homem e se apresenta no lugar do seu pai, se alistando disfarçada em um exército só de homens.

Mulan Rise Of a Warrior é um filme baseado na história da personagem Hua Mulan, do poema The Ballad Of Mulan. Produzido pelo cinema chinês e dirigido por Jingle Ma, ao assistir esse filme você deve se desligar da animação feita pela Disney, pois o foco dessa história não é o romance, nem as risadas ou os amigos “mágicos” de Mulan, e sim a lealdade, a guerra e a reflexão.
Mulan é interpretada magnificamente pela atriz Wei Zhao, que dá vida a personagem de forma belíssima e fiel. Nesta história, Mulan passa 12 anos longe da família e lutando na gerra ao lado de seus aliados e companheiros, vivendo na maior discrição para não descobrirem sua verdadeira identidade. Haverá perdas, saudades e solidão. E acima de tudo, haverá a força e determinação de Mulan nos mostrando o quanto o girl power é importante e inspirador.
O filme é belo, tanto nos elementos de sua história quanto na forma visualmente que nos é dada. O final é destruidor e nos mostra a realidade da vida na sua forma mais crua, sem romantização. Vale a pena conferir! E ainda tem na Netflix.

E esse foi mais um post do projeto Explorando Contos de Fadas. Não esqueçam de conferir as indicações de adaptações da Nathalie e não se esqueçam que na próxima sexta terá a terceira parte do projeto. Espero que vocês estejam gostando tanto quanto nós estamos. Um beijo e até a próxima.

6 thoughts on “#ECDF: Adaptações pouco conhecidas”

  1. Eu assisti esse da Bela e a Fera e eu achei ele lindíssimo também, mas eu achei algo muito estranho nele: parece que o filme não teve história. Eu não entendi sabe, tipo eu tava vendo e do nada ele acabou, como se faltasse TANTA COISA.
    Agora, o que eu estou CHOCADA é que tem live action de mulan e eu nunca vi. Eu sou desesperadamente apaixonada por Mulan, ela moldou completamente minha personalidade na infância, e agora eu descubro que tem filme e eu não vi?

    Caramba, e tem no netflix! JÁ SEI O QUE VOU ASSISTIR ENQUANTO JANTO HOJE!

    Muito obrigada pela indicação, não acredito que passei tanto tempo da minha vida sem saber da existência desse filme. T.T

    Beijos.
    http://www.jadeamorim.com.br

    1. De nada. <3 Espero que você goste do filme, tanto quanto gosta da animação. Eu, particularmente, tenho a Mulan na lista de favoritas, tanto de "princesas" como de mulheres fortes, e a live action transmite toda a força da personagem no filme. É incrível!
      Assista, assista, assista! <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *