Literatura

Resenha: “Delírios Mortais” – Luiz Gabriel Pereira

Título: Delírios Mortais
Autor: Luiz Gabriel Pereira
Quantidade de páginas: 129
Editora Sinna
Gênero: Ficção / Contos / Terror / Suspense e Mistério
Ano: 2018
Skoob: Clique Aqui
Compre: Editora Sinna
Minha classificação: ★★★ (3/5) 
* Livro cedido pela editora

Uma coletânea sobre demônios interiores
e demônios sobrenaturais

Delírios Mortais é uma coletânea com nove contos escritos pelo autor nacional Luiz Gabriel Pereira. As histórias intercalam entre situações de medo e contato com o sobrenatural e a maldade humana, como também trazem personagens perdidos, quebrados e atormentados, estando assim todos à beira do abismo e prestes a perder o que ainda lhes restam de sanidade.

A maioria dos contos são histórias curtas, construídas rapidamente e com uma leitura fluida. Sendo assim comentarei abaixo brevemente sobre cada uma em particular com o intuito de despertar em você ainda mais curiosidade pela obra:

Yankhmat 283:
Por conta das explorações ambientais a Terra está ficando cada vez mais inabitável. Para tentar salvar o último resquício da humanidade um empresário rico inicia grandiosas pesquisas, encontrando assim um planeta que aparenta ter as mesmas condições de vida que a Terra, mas que ainda não está sendo habitado, vendo nisso uma chance peculiar e decisiva para todos. E é então que ele decide reunir um grupo contendo cientistas e especialistas em diversas áreas para enviá-los até o novo planeta e construírem lá uma nova sociedade.
É claro que isso pode até parecer simples, mas em histórias de terror nada é bem assim. O arqueólogo Eckart, o nosso narrador, irá nos contar como está sendo a exploração do novo planeta e quais perigos podem atrapalhar essa nova civilização. Nesse conto é abordado a luta contra o desconhecido, tratando também sobre a conscientização do fim do mundo. A premissa é boa, mas confesso que não entendi o final da história, o que acabou colocando-o como o conto mais fraco da lista.

Cecília:
Cecília é atendente em uma padaria e ultimamente está chegando sempre atrasada, já que os problemas pessoais só parecem aumentar. Nessa quarta-feira em específico em que mais uma vez chega atrasada, Cecília atende logo no início da manhã um homem misterioso, o qual acaba ficando na padaria durante todo o dia, deixando-a assim com uma sensação estranha e até mesmo desconfortável.
O conto tem um clima de mistério que o permeia do início ao fim. Fica claro que o desconhecido mexe com as sensações de Cecília mesmo que ela – e muito menos nós – não saiba o porque, entretanto quando o motivo é revelado é difícil segurar a surpresa e o choque.

Floresta da Loucura:
Um encontro da antiga turma da faculdade é marcado. O grupo então decide passar três dias em uma floresta com o intuito de escalar juntos uma montanha. O que os colegas não sabiam era que logo na primeira noite uma chacina aconteceria no acampamento, sobrando assim apenas um sobrevivente: o nosso narrador.
Diferente de outros contos, esse não esconde quem ou o que será o assassino, afinal fica claro desde o início que a história irá tratar sobre uma lenda comum no meio do terror. Não sou muito apta a histórias desse tema, mas, mesmo não sendo nenhuma surpresa, o conto consegue abordar bem a maneira da loucura do personagem e em como ele é vencido por ela.

Kintsugi:
Após perder aquela a quem mais amava, Arthur se encontra em um estado fraco e de sofrimento. Não sendo isso o bastante ainda é obrigado a aguentar os olhares tortos das pessoas que encaram as cicatrizes douradas que há em seu rosto. O único momento em que encontra paz é quando está sozinho em casa e à vontade para se “auto consertar”.
Aqui nesse conto temos um personagem quebrado, mas que sozinho tenta colar todos os seus pedaços. Não é uma história dramática, longe disso. Há um ponto certeiro entre o seu sofrimento e a sua recuperação, mesmo que para isso seja preciso utilizar uma prática nada saudável ou recomendável de automutilação.

O Espírito da Bruxa:
Em uma noite chuvosa o nosso narrador-personagem começa a ser atormentado por alguma entidade misteriosa, o qual irá brincar e amedrontar a sua mente e sanidade. É uma história curta, mas recheada de aflição e desespero. As sensações do personagem chegam a ser palpáveis e sentidas dentro de nós.

Venha à Família:
No dia do seu aniversário de 19 anos a narradora-personagem é convidada para sair com alguns “amigos”, como um tipo de convenção padrão imposta pela sociedade em datas comemorativas. Infelizmente esse também será o último dia de sua vida. Confesso que o que mais me atraiu no conto foram as descrições minuciosas envolvendo um assassinato antigo e o próprio desenvolvimento da história, indo para um caminho previsível, mas que ao mesmo tempo conseguiu me surpreender. Com toda a certeza foi o meu conto preferido da coletânea, ainda mais por trazer um teor macabro e algumas cenas recheadas de gore.

Quando a Morte Sorri:
Depois que Javier sofreu um acidente ele resolveu fazer um voto de silêncio, calando-se e fechando-se para todos. Nenhuma voz saia de sua boca e o único barulho que ele ouvia, até mesmo quando estava com fones de ouvido, era de uma voz má em sua cabeça.
Uma história curta, abrupta e sufocante. Senti uma sensação muito forte de que a história teve um certo intuito de abordar sobre depressão mesclando esse tema já pesado com um teor mais sobrenatural, mas não posso dizer isso com total certeza.

A Chaminé Vermelha:
Nesse há um narrador-personagem totalmente obsessivo por uma mulher até então desconhecida. Ele a observa, sabendo assim todos os seus gostos e desgostos. Um verdadeiro stalker. Ele a vigia a todo momento até que um dia impelido de coragem decide fazer contato com a moça e convidá-la para sair, o que gera uma certa surpresa quando o convite é aceito.
O protagonista nos causa repulsa ao mesmo tempo que nos surpreende com os seus atos impensáveis. A história é sangrenta e descritiva, não sendo assim indicada para aqueles que têm o estômago mais fraco. Por esse motivo eu gostei do conto e também gostei da forma como a psicopatia e o desfecho foram explorados.

Geist:
Ao assumir a traição para a esposa Netuno começa a se sentir distante e até mesmo ignorado pela parceira, deixando-o assim inconformado e confuso com as atitudes da mulher. Mas logo no início o leitor já tem uma pista do que realmente aconteceu entre o casal, e isso – dependendo da sua experiência de leitura – pode, infelizmente, quebrar o clímax. Eu, por exemplo, vi nesse conto uma história bastante previsível e clichê, sendo fácil de se adivinhar o desfecho. Infelizmente a surpresa acaba ficando à cargo de outros contos e bem longe desse.

A edição está bonita, com uma diagramação boa e contém artes a cada início de um conto; as folhas são brancas, tendo também algumas pretas, mas feitas de um material confortável para a visão.

Os clichês nem sempre funcionam comigo.

Sempre que leio terror procuro pelas histórias mais estranhas e fora das curvas que posso conseguir. Eu até gosto de histórias clichês, mas muitas vezes eu acho que é mal utilizado e que, por isso, acaba sendo mais do mesmo, algo que eu já vi muitas outras vezes em filmes ou livros. E o problema desse livro para mim foi exatamente isso: os clichês que eu já vi mil vezes sendo repetidos aqui sem nenhuma surpresa ou nada diferente dos demais.

Quando li a sinopse me interessei pelo livro justamente por prometer uma história sobre percas de sanidade e sensações das mais diversas, o que acabou me gerando certa decepção ao lê-las e perceber que não eram tão pesadas como havia pensado. Imaginei uma coletânea única, peculiar, particular até, mas infelizmente encontrei na maioria dos contos mais do mesmo.

É claro que a leitura não tem somente pontos negativos. Um ou dois contos conseguiram abalar as minhas estruturas e me deixar com o queixo no chão, o que gerou uma surpresa bizarramente agradável. Por isso foi uma boa leitura e serviu até mesmo para fazer com que eu conhecesse a escrita de um novo autor nacional. Fiquei curiosa para conhecer outras obras do autor e acompanhar a evolução de sua escrita, sendo assim um livro que recomendo para os amantes de terror e de histórias que irão te tirar o chão (espero que não literalmente).


💻 Me acompanhe nas redes sociais:
FanPage | Skoob | Instagram | Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *