Literatura

Resenha: “Amor de Viagem” – Amanda Branco

Quando tive a oportunidade de solicitar uma parceira com a Amanda Branco o que mais me atraiu – e me instigou para entrar nessa aventura – foi a sinopse do livro. É claro que a capa também é maravilhosa, porém a sinopse me fisgou de uma maneira que ainda não consigo explicar. Talvez uma conexão instantânea, não sei. Apenas senti que precisava conhecer a história da Amanda e saber o que tanto me chamou a atenção.

Mas também é claro que eu não esperava que fosse gostar tanto do livro a ponto de favoritá-lo, e aqui explico porque: tenho um grande problema de amor e ódio com livros jovens adultos e romances no geral. Na maioria das vezes os protagonistas são adolescentes – e irritantes -, o que não me agrada, e os romances acabam indo para um lado tóxico que repudio.

Por sorte, Amor de Viagem não está incluso em nenhum dos dois. Esse livro meio que caiu de paraquedas no meu colo (ou seria e-mail?) e eu só tenho que agradecer aos céus – e a Internet – por isso.

Título: Amor de Viagem
Autora: Amanda Branco
Quantidade de páginas:
 226
Editora Viseu
Gênero:
 Ficção / Romance / Chick-lit / Jovem Adulto
Ano: 2019
Skoob: Clique Aqui
Compre: Amazon
Minha classificação: ★★★★★❤ (5/5+favoritado)
* E-book cedido pela autora

Para onde você iria se pudesse viajar agora para qualquer lugar do mundo?

Essa é – quase – a pergunta que é feita para Helena através de um bloquinho desconhecido brilhante, a diferença da sentença é que no caso de Helena, nossa protagonista, foi lhe perguntado para onde ela gostaria de viajar naquele momento. Estranho, né? Mas vamos com calma que eu te explicarei melhor a situação.

Helena é formada em Jornalismo, mas, infelizmente, não exerce a profissão. Não por falta de amor ao curso, mas, sim, por falta de oportunidade de emprego. Por isso, para ajudar os pais em casa, ela trabalha há dois anos em um antiquário, a lojinha empoeirada do Seu João.

Mas Helena não é bem a funcionária do mês, já que sempre está se atrasando. Nesse dia em especial quando está a caminho do antiquário ela sofre um pequeno acidente com a sua bicicleta, esbarrando em um homenzinho baixo, careca e curioso. Como se a cena não fosse cômica o bastante, o desconhecido ainda diz algumas palavras motivacionais estranhas e deixa para trás um bloquinho de anotações, esquecendo-o ali no meio da rua.

Helena então guarda o objeto para entregá-lo no outro dia para o homenzinho, mas quando chega ao trabalho, atrasada como sempre, recebe uma notícia que a deixará em frangalhos: ela está demitida. Mas agora o que fazer? Como seguir com a recém, mas desesperada e fracassada, vida adulta? Como conseguir arrumar outro emprego? E pior, como conseguir acreditar em seus sonhos novamente?

No outro dia, já estando descrente da vida e triste pelo rumo que está tomando, Helena decide, mesmo que desmotivada, tentar seguir a vida. Mas um acontecimento ainda mais estranho do que o do dia anterior lhe arremata: o bloquinho do homenzinho desconhecido começa a brilhar. E quando ela o abre, o mesmo bloquinho que ontem a noite estava repleto de fotos do desconhecido visitando vários lugares do mundo, hoje todas as páginas estão em branco, a não ser uma frase ali escrita que a intriga bastante. Na frase, além de ser citado o seu nome, pergunta-lhe para onde ela gostaria de viajar.

É óbvio que isso tudo parece ser uma loucura ou até mesmo uma piada de mau gosto do homenzinho. Helena não acredita mais em mágica. Mágicas são impossíveis na vida real. Mas, mesmo assim, ela decide dar uma chance para a loucura e escrever o primeiro lugar que lhe vem em mente: Paris.

E é assim que num piscar de olhos ela perceberá que está no topo da Torre Eiffel. É claro que isso deve ser maluquice, sonho ou, talvez, ela esteja em coma em alguma hospital por aí, mas depois de um tempo Helena perceberá que tudo aquilo que está vivendo – e que sempre sonhou em um dia viver – é na verdade a total realidade. Ela está em Paris, e agora tudo que lhe basta é aproveitar.

Será assim, através das aventuras e trapalhadas de Helena, que conheceremos países ao redor do mundo e realizaremos junto com a protagonista todos os seus sonhos. Isso a fará acreditar uma vez mais no mundo, na magia e, principalmente, em si mesma. Além, é claro, de construir novas amizades e conhecer um garoto que se tornará muito especial para ela (e para nós!).


“Tentei correr atrás dos meus sonhos, mas tudo o que consegui foi ser enterrada em uma realidade dura e cruel de que nem tudo é como a gente sonha.”

Acredite em seus sonhos. Acredite em si mesma.

Caramba, que livro mais fofo e enriquecedor! Não sei nem o que falar direito dessa história. No começo pensei que seria apenas um livro romântico e engraçado, até porque desde o início eu me diverti bastante com as aventuras da Helena, mas depois a história foi tomando um rumo pelo qual eu não esperava, e então me vi apaixonada pela trama e pelos ensinamentos os quais a protagonista absorveu.

Foi incrível ler um livro que ao mesmo tempo em que é leve também me fez pensar sobre vários de meus momentos atuais, semelhantes com os que a própria protagonista estava vivendo. Adorei sentir essa identificação e adorei ainda mais a transformação pela qual a Helena passou, se tornando uma mulher confiante, sonhadora e persistente, e me deixando com vontade de ser mais como ela.

A parte da fantasia também ficou incrível e me deixou com vontade de ter um desses caderninhos para viajar por todo o mundo, mas acredito que, acima das viagens e das belas paisagens, tudo que ela prendeu foi o mais importante para mim, pois junto com ela eu também aprendi.

Apesar da história ter um foco maior na auto descoberta da Helena, é impossível não se apaixonar pelo romance entre ela e um outro personagem. Os dois combinam e são perfeitos um para o outro, me proporcionando os momentos mais fofos – e até os mais engraçados – da leitura, sendo assim cômico e emocionante.

Também há a forma que a protagonista fala diretamente com o leitor, mostrando o quanto somos amigos dela e confidentes por saber da sua história. Isso faz com que o livro tenha ainda mais um ar cinematográfico, o que me fez querer muito ver a Helena nas telas. Imaginem só o quanto seria incrível? Mal posso esperar por isso!

Acredito que li esse livro no momento certo, justamente quando eu precisava conhecer a Helena. Ter essa experiência foi incrível e poder ter essa conexão com ela tornou tudo ainda mais maravilhoso. A escrita é tão gostosa e fluida, que em nenhum momento tive vontade de parar de ler. Apenas queria saber onde aquela história iria me levar e como eu poderia ser um pouco mais como a Helena.


“Eu tinha passado a acreditar mais em mim, no meu potencial e nas minhas escolas. Se estivesse chovendo lá fora, eu faria nascer o sol aqui dentro.”


💻 Me acompanhe nas redes sociais:
FanPage | Skoob | Instagram | Pinterest

Receba todas as nossas novidades:

10 thoughts on “Resenha: “Amor de Viagem” – Amanda Branco”

  1. Heyyy, vim visitar seu blog e é tudo muito lindo por aqui <3
    Gostei muito da resenha e fiquei com vontade de ler Amor de Viagem, parece ser uma história muito fofa e inspiradora. Entrou pra minha lista 🙂

  2. Oie Thainá,
    para ser bem sincero com essa capa e título nunca que eu ia imaginar que o livro se trataria do que se trata haha, mas achei a premissa do livro maravilhosa assim como você gostaria de encontrar um caderninho desses. Que bom que gostou da leitura, ainda que eu tenha gostado da premissa não sei bem se essa seria uma leitura que eu faria.

    Beijos!
    Eita Já Li

    1. Acredito que o livro é indicado tanto para os fãs de romance como também para os que não têm costume de ler o gênero, já que, para mim, o romance ficou em segundo plano, dando ênfase no crescimento pessoal e no amor próprio da protagonista. Por isso que o indico para todo mundo, pois acredito que mereça uma chance.

  3. Oi Thainá.

    Eu ainda não tive a chance de ler um opinião sobre este livro e gostei de saber que a escrita é gostosa de ler e fluida. Já estou adicionando na lista de desejados para conhecer a escrita da autora. Obrigada pela dica.

    Bjos

  4. Olá, tudo bem? Adoro ler romances fofos, por isso quando vi essa dica fiquei animada. Curiosa para saber como a protagonista conversa com o leitor, e espero poder gostar muito dela. Não conhecia a autora, porém curiosa pelo tanto de elogios que fez. É sempre maravilhoso quando conhecemos uma história no momento certo né?! Ótima resenha!
    Beijos

    1. Sim! Acredito que, às vezes, o que nos faz não gostar de um determinado livro é exatamente por conta do momento que o lemos, então adoro quando um livro acerta em cheio o meu coração e a minha fase pessoal atual. Com esse não foi diferente, pois ele conseguiu conversar comigo muito intimamente e fortemente, em um momento que eu necessitava de suas palavras. Acho que a magia maior do livro está justamente nisso.

  5. Li que você escreve histórias de terror , que maneiro! kk Show! Espero conhecer suas histórias.
    Quando ao livro de fato a capa é fofa, certamente me prenderia pela capa também, mas a história pareceu incrível também. Eu tenho um amor enorme por romances , mas realmente concordo com você sobre essas histórias de amor chatas de adolescentes chatos.
    Esse quero ler , amei sua resenha!
    um beijo

    http://www.chuvanojardim.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *