Literatura

Resenha: “Phobiafilia” – Preto Pasin

Quando solicitei a HQ Phobiafilia eu não sabia bem o que esperar da leitura. Eu não havia lido nenhuma resenha e nem escutado nenhum comentário sobre a obra. O que me intuiu a desejá-la foi, simplesmente, a capa, a qual me despertou sensações controversas e incômodas, mesmo que, à princípio, apenas através da tela do computador.

A sinopse não conseguiu me passar tudo que eu precisava para saber com concretidade sobre o que é a HQ, e digo que isso foi a melhor decisão da Editora. Eu não sabia o que esperar, o que sentir ou o que pensar, e isso tornou a minha experiência de leitura única e singular.

Exatamente por isso decidi escrever uma resenha curta, sem detalhes sobre o enredo ou as surpresas que o mesmo nos proporciona. A experiência e o contato em si com a obra foram as melhores partes para mim e quero que isso também ocorra com vocês. O que posso adiantar é que o incômodo e o medo são sensações certeiras e também são as características mais marcantes da obra de Preto Pasin.

Título: Phobiafilia
Autor: Preto Pasin
Quantidade de páginas: 76
Editora Diário Macabro
Gênero:
 Ficção / Quadrinho / Terror
Ano: 2019
Skoob: Clique Aqui
Compre: Editora Diário Macabro
Minha classificação: ★★★★★ (5/5)
* HQ cedida pela editora

Do que você tem medo?

Phobiafilia é um compilado de artes, ao todo com 32, que representam perfeitamente – e perturbadoramente – diversas fobias reais, por mais estranhas e diferentes que possam aparentar à princípio. Quando afirmo que são estranhas e diferentes, também digo com concretidade que muitas são desconhecidas da maioria do público, inclusive eram para mim, e é exatamente esse medo desconhecido que gera desconforto e estranheza sobre as fobias.

Mas não se limite a pensar que as artes são desconexas ou sem ordem aparente. Na verdade, todas têm uma ligação entre si e ao final é revelado, com maestria, o que as conectam. Além disso, o traço de Preto Pasin é expressivo e único, transmitindo perfeitamente a angústia, o sofrimento e a loucura do protagonista.

Edição em capa dura, colorida e caprichada.

O medo transformado em aprisionamento e insanidade

Será através somente da arte que nos conectaremos com o personagem principal de cada quadro, cada página. O quadrinho não é composto por textos ou diálogos, mas, sim, apenas de um pequeno trecho explicando o que cada fobia significa. Isso faz com que a arte seja ainda mais impactante e claustrofóbica, pois passa uma sensação de aprisionamento e terror.

Com um prefácio incrível e bastante explicativo de Oscar Nestarez, essa introdução busca nos deixar à vontade e familiarizados com o que virá pela frente, mesmo que isso seja basicamente impossível, já que as sensações são intensas, diversas e podem variar de leitor para leitor.

Cada traço e cada cor transmitem perfeitamente o ar sombrio e claustrofóbico da HQ.

Não deixe o seu medo lhe consumir.

Confesso que não sabia o que esperar de uma HQ focada apenas no visual, sem diálogos, mas me senti surpresa com o impacto que esse quadrinho foi. Ele traz mais de trinta fobias, uma mais estranha que a outra, e mostra um protagonista desesperado e imerso em uma escuridão profunda.

O traço do Preto Pasin é paralisante e indescritível, não precisando assim de nenhuma frase já que a imagem por si só transmite tudo que precisa. Senti aflição, desespero e terror com essa leitura, sensações que sempre procuro em obras do gênero. Um soco no estômago me atingiu fortemente e, mesmo agora, ainda sinto o gosto amargo que essa HQ deixou.

Então, mesmo sendo uma leitura relativamente rápida, a história é impactante e se mantém em nós mesmo depois de semanas feita a leitura. Por isso, a recomendo bastante, principalmente para quem gosta de sair da zona de conforto e se arriscar em ideias intensas e assustadoras.


💻 Me acompanhe nas redes sociais:
FanPage | Skoob | Instagram | Pinterest

Receba todas as nossas novidades:

5 thoughts on “Resenha: “Phobiafilia” – Preto Pasin”

  1. Eu confesso que fiquei com medo só de ver a capa hahaha Acho que nunca vi nenhuma obra falando sobre fobia. Apesar de não ser meu gênero e garanto que não leria por já me dar aquela agonia em pensar, é um livro bem interessante e que, com certeza, vai agradar muitos.

    Beijos.

    1. Essa capa é maravilhosa, né? Realmente fobia não é um tema ainda muito explorado no terror, o que faz a obra ser ainda mais única e singular. Uma pena que o gênero não lhe agrade, pois é uma leitura que realmente vale a pena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *