Literatura

Resenha: “Beladona” – Ana Recalde e Denis Mello

Beladona está na minha lista de leitura há muito tempo. Eu não vi apenas uma indicação positiva dessa HQ, mas, sim, várias, e desde então sofro de ansiedade e vontade para tirar minhas próprias conclusões sobre a história. Mesmo assim, por mais que tenha criado expectativas demais, eu ainda consegui me surpreender bastante com a leitura.

O trabalho em conjunto de Ana Recalde e Denis Mello resultou em uma HQ tocante, apaixonante e incrível, perfeita e recomendadíssima para os fãs de terror. Assim como muitas outras obras do gênero, Beladona traz através do medo e do assustador uma reflexão crítica e pensante muito importante nos dias atuais.

Leia também: Do Inferno

Título: Beladona
Roteirista: Ana Recalde
Artista: Denis Mello
Quantidade de páginas: 200
AVEC Editora
Gênero:
 Ficção / Terror
Ano: 2014
Skoob: Clique Aqui
Compre: Amazon | AVEC Editora
Leia Online: Petisco.Org
Minha classificação: ★★★★★ (5/5)

Uma HQ sobre medos, angústias e monstros internos

Samantha tem pesadelos vívidos e horrendos desde os sete anos de idade; pesadelos esses que a perseguem até mesmo quando está acordada, não saindo de sua mente por nenhum segundo e não lhe dando a paz que tanto deseja, sendo assim obrigada desde pequena a frequentar consultas que à primeira vista almejam a sua melhora.

Quando chega na puberdade, a famosa adolescência, Samantha encontra em um de seus sonhos alguém parecido consigo mesma, um garoto que a ensina o poder de ser quem quiser dentro desses sonhos e que logo inicia um relacionamento romântico com ela. Porém um acontecimento repentino e trágico a pega de surpresa, trazendo muita tristeza para a sua vida ao mesmo tempo em que desperta dentro de si um poder que ela, até então, não imaginava. Uma vingança está por vir e Samantha será quem ditará as regras dessa nova batalha.

Beladona é uma HQ nacional de terror que contém uma arte expressiva e agoniante. É quase impossível não nos sentirmos dentro da mente da protagonista, o que resulta em uma leitura sufocante e paralisante de medo. Mas, não se preocupe, pois o desfecho, contrapondo a essa atmosfera sombria e claustrofóbica, nos liberta e nos deixa com um pouco de esperança.

Acima disso tudo, Beladona é uma história sobre a vivência e os medos das mulheres. Na minha visão, os monstros que cercam os pesadelos de Samantha podem ser facilmente tratados como uma alegoria a todas as perseguições que sofremos na vida real. A angústia, o medo, o pânico, todos esses sentimentos vividos pela protagonista são os mesmos que, muitas vezes, nos cercam, sejam quando andamos sozinhas na rua ou quando não nos encontramos em um ambiente saudável e confiável. Eu me vi muito na Samantha, e sei que outras mulheres também irão se ver nela.

Reprodução: Beladona

Belo, destruidor e real

Nossa, que HQ! Esperava apenas uma história simples de terror, mas ao final percebi que há muito mais por trás de Beladona do que podemos absorver momentaneamente. Não sei se foi a intenção da autora, mas pude fazer várias relações com os sonhos e os monstros que cercam Sam com a própria realidade vivida por milhares de mulheres e os seus próprios monstros da vida real.

A arte da HQ é agoniante, apreensiva, claustrofóbica. O trabalho desses dois autores ficou incrível, pois o roteiro e a arte se complementam majestosamente, sendo assim uma história visual que hipnotiza e não se passa despercebida. Um trabalho maravilhoso feito para se emocionar e se admirar.

Inclusive o final da leitura me deixou bastante emocionada, pois me fez pensar ainda mais em todas as mulheres ao redor do mundo. Eu desejo que assim como a Beladona todas as demais mulheres também encontrem a sua própria liberdade de poder ser quem quiser e de viver sua própria vida sem os demônios que tanto as assustaram no passado. Já deu para perceber que é impossível ler essa HQ e não sair da leitura sem diversas reflexões, não é?

O único ponto que tenho a reclamar não é nem sobre a HQ em si, mas, sim, da minha experiência em ler um quadrinho no Kindle. Se possível, eu recomendo que procurem pelo material impresso, mas caso o e-book seja mais acessível leia-o mesmo assim. Eu digo que ler no Kindle me atrapalhou, pois não estou acostumada a ler HQ’s em formato e-book, e por isso encontrei muitas barreiras na hora de ler os diálogos ou dar zoom em determinada imagem. Mas, independente disso, a leitura fluiu muito bem e tem como estimada duas horas de leitura, ou seja, bem rápida.

Beladona me trouxe muitos pensamentos, e por ter gostado tanto quero acompanhar os futuros trabalhos dos autores, pois, com toda a certeza, já sei que irei gostar. Por isso, espero que vocês, amantes ou não de HQ, deem uma chance para a história e se mostrem abertos a uma experiência incrível de terror e angústias. Apenas deixo aqui um adento: não arrisque na leitura quando estiver para baixo ou mal, pois o teor da história não é recomendável para esses momentos.


💻 Me acompanhe nas redes sociais:
FanPage | Skoob | Instagram | Pinterest

Receba todas as nossas novidades:

8 thoughts on “Resenha: “Beladona” – Ana Recalde e Denis Mello”

  1. Olá, tudo bem? Acho interessante o quanto quadrinhos podem exacerbar sentimentos, trazendo mais vivacidade ao mesmo, por isso é um tipo de leitura que gosto muito de realizar! Nessa caso, com certeza seria demasiadamente angustiante e tenso, por causa da sua temática, no entanto acho que esse é seu proposto não é? Não conhecia a obra, e apesar de ser fora do que habitualmente leio, daria uma chance. Adorei a resenha!
    Beijos

    1. É incrível a maneira como o roteiro e a arte se complementam aqui. A história casa perfeitamente com o teor sombrio da arte e o resultado é maravilhoso, nos deixando desconfortáveis e tensos durante a leitura. Gosto disso em HQs, principalmente por nelas terem mais espaço para criar a parte visual.

  2. Eu tinha visto esse livro lá no seu IG e já tinha ficado curiosa com ele, mas vendo o post completo aqui no blog a minha curiosidade só aumentou. Parece ser uma HQ incrível, com certeza é uma leitura que vai me agradar demais!

  3. Olá tudo bem? Eu leio pouco nesse formato mais adoro o mesmo de qualquer jeito, o gênero entretanto me deixa um pouco desconfortável não costumo ler muito mais daria uma chance a leitura sem dúvida.

    1. Não se recomendaria para alguém que não gosta de terror ou histórias mais sombrias, mas acredito que valha a pena dar uma chance e tirar sua própria opinião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *