Metas Textos

As metas e os projetos em tempos de caos

Olá, sonhadores! Como vocês estão?
Eu sigo tentando manter a minha sanidade em meio a esse momento de caos e desespero e também continuo tentando ser produtiva, sonhadora e positiva, o que não acontece todos os dias.

Por isso, decidi que hoje não terá resenha nem dica de filmes/séries ou análises de games; para hoje escolhi escrever um post diferente e compartilhar com vocês como estão as minhas metas literárias e pessoais ao mesmo tempo em que também falarei como essas metas estão mexendo de forma negativa com a minha cabeça. Vamos conversar?

Não quero mais ler nenhum livro das minhas metas. E agora?

Desde janeiro até o início da quarentena, lá para março/abril, as minhas leituras estavam fluindo muito bem. Eu tenho um ritmo de leitura bastante mediano, onde consigo ler, em média, de 3 a 4 livros por mês, dependendo do tamanho de cada um. Nesses quatro primeiros meses eu consegui ultrapassar o meu número habitual e ainda acrescentar volumes de HQs e contos à lista, o que resultou em meses frutíferos e felizes, ainda mais pela maioria terem sido ótimas leituras.

Mas então veio maio, e toda essa produtividade e vontade de ler caíram drasticamente. Eu ainda conseguia acertar certos títulos e concluir leituras maravilhosas, mas também, junto disso, vieram leituras medianas, o que pode, sim, ter atrapalhado um pouco o meu ritmo de leitura e vontade em ler. É claro que eu nunca parei definitivamente com as leituras, mas, confesso, que iniciar um livro está sendo desanimador para mim. Mas acho que descobri o motivo por trás disso: os livros pré-selecionados das minhas metas e parcerias.

Esse ano eu me propus a algumas metas, sendo alguns projetos mensais e outros que iriam durar ao decorrer do ano, caso queira saber de todos leia-os aqui. Dois deles, em específico, vem me trazendo certa dor de cabeça. O primeiro é o Leia Mulheres, onde há um tema mensal específico para ser seguido e os quais, entre sete, eu apenas conclui três. Eu leio muitas obras escritas por mulheres, mas, infelizmente, o gênero das minhas leituras não têm batido com os propostos mensalmente e isso me deixa um pouco apavorada, pois é o segundo (ou terceiro) ano que refaço esse projeto e que mais uma vez falho.

O segundo projeto é o 12 livros para 12 meses que mesclei com o do grupo do Desencalha Livros. No fim eu teria que ter lido 25 livros, os quais selecionei para uma TBR que não pode ser alterada, mas até agora eu li apenas cinco, e mais uma vez o sentimento de falha está tomando conta de mim, pois sei que não conseguirei ler a TBR completa a tempo, mesmo que isso não seja uma competição ou obrigação.

Tentei fazer TBR nos dois últimos meses e em junho funcionou, mas agora em julho não. Eu estou na minha terceira leitura do mês e me sinto horrível por não ter lido os seis que me propôs inicialmente. E, pior ainda, muitos dos que coloquei na TBR lá no comecinho do mês eu já não queria mais ler ao decorrer de julho, mesmo sendo prioridades por causa do projeto e por causa de parcerias.

E é então que eu paro e penso: por que estou me obrigando a ler livros que eu não quero no momento? Eu sei que tenho prioridades, mas por que não consigo fazer com que elas sejam prazerosas? Os dois livros que li no começo do mês não me agradaram, e pela proposta dos livros deveriam ter sido ótimas leituras, mas será que não me agradaram porque eu realmente não gostei ou porque eu me obriguei a lê-los?

Por isso estou usando esse post como uma espécie de desabafo, pois estou pensando seriamente em desistir das minhas metas e selecionar as leituras de acordo com as parcerias, as que mais me derem curiosidade para ler, e os livros que quero ler no momento. Chega de me pressionar e de me auto sabotar. Chega de metas. Ao menos por enquanto, ao menos pelo resto desse ano caótico e ruim por si só.

E as metas pessoais, como ficaram durante a quarentena?

As minhas metas pessoais também estão me sufocando um pouquinho de cada vez. Eu fiz poucas esse ano, mas elas são bem concisas e objetivas, nada de meio termo ou meio sonho, eram tudo ou nada. E por conta da pandemia tornaram-se nada.

Um sonho de adolescente que seria realizado em março, agora está com data e previsão indefinidas, pois fica impossível ir em um show nessa situação. Os meus estudos que tinham como objetivo conseguir um emprego fixo e sustentável, foram suspensos. E os cuidados pessoais que meu corpo e mentem exigem, também foram prorrogados. Tudo que eu gostaria de realizar esse ano está sem previsão de quando acontecerá, e isso não é desesperador?

Mas, contrapondo a isso, por sorte tive conquistas que não estavam nos planos. Terminei a minha pós-graduação sem pressa e já entreguei o meu TCC, que consegui escrever com tempo de sobra, bastando agora ser aprovada. Consegui o meu primeiro trabalho como revisora desse ano e espero que isso abra portas para mais revisões, o que será uma ótima maneira de me manter em pé. E, talvez o mais importante, adotei um cachorrinho. Eu, logo eu, que nunca me imaginei cuidando de uma criança, adotei um filhote que agora está com 4 meses e que derruba quase a casa inteira, mas que me faz muito feliz.

Então, colocando tudo isso em uma balança nesse momento, acredito que as coisas boas vem anulando as ruins e que aos poucos a mente está se adaptando a tudo isso. Ainda espero conseguir conquistar todas as metas que desejei no início do ano, mas também espero conseguir me manter sã para correr, nem que seja no ano que vem, atrás delas.

Sonhando Através de Palavras

Quis fazer um post diferente para que assim pudêssemos conversar um pouco, principalmente sobre o que nos aflige nesse momento. Ficarei feliz se você quiser compartilhar comigo o que está te deixando mal nesse período de quarentena e pandemia e se quiser compartilhar um conselho para mim. Mas caso não queira fazer nem um nem outro, ficarei feliz apenas em saber que você leu meu desabafo.

Espero que estejam todes bens e que a sua saúde mental esteja sendo cuidada com carinho. Avisa-me também se gostou desse tipo de post, pois assim me sentirei mais à vontade para outras conversas.

Faça sua compra na Amazon através do nosso link (clique aqui) e ajude o blog a manter-se ativo. Sem taxas ou inclusão de valores, você estará nos ajudando a continuar trazendo conteúdo.


💻 Me acompanhe nas redes sociais:
FanPage | Skoob | Instagram | Pinterest

Receba todas as nossas novidades:

12 thoughts on “As metas e os projetos em tempos de caos”

    1. Eu também tive que fazer o TCC nos últimos dois/três meses, então sei como é difícil conciliá-lo com as demais leituras. Mas espero que possamos ficar bem, independente disso e mesmo que seja aos poucos.

  1. Olá! Eu acho que a nossa saúde mental precisa vir em primeiro lugar sempre, eu passei quase seis meses lendo muito pouco, coisa de um livro por mês e as vezes nem isso mas, desde o início da pandemia eu estou lendo bastante, porque tenho me refugiado nos livros, séries e filmes para não enlouquecer. Recebi algumas propostas de trabalho mas, tenho pessoas em casa que precisam de mim e que estão no grupo de risco, por isso, resolvi continuar em casa até as coisas se acalmarem. Estamos esbanjando dinheiro ou somos ricos? Não. Eu apenas quero ter todas as pessoas que amo ao meu lado quando tudo isso pasar e hoje posso escolher ficar em casa, ao invés de voltar ao trabalho.

    Eu gostei muito de ler a sua opinião, saber que não foram apenas as minhas metas que sairam do meu controle durante a pandemia me deixa muito triste mas, também aliviada! Tem dias que sinto que vou desabar ou enlouquecer e postagens como a sua ajudam a tranquilizar a minha mente e acalmar a ansiedade que tenho com as coisas da vida.

    Viviane Almeida
    Resenhas da Viviane

    1. Oi, Viviane.
      Fiquei feliz com o seu comentário e em saber que o meu post lhe ajudou de alguma forma. No começo da pandemia o meu ritmo de leitura aumentou, mas agora que já se passou a metade do ano e o desespero por continuarmos assim até lá sabe quando é mais forte e por isso ler tem sido difícil para mim. Não consigo me concentrar, não consigo focar e aproveitar as histórias. Leio rápido, apenas contabilizando números, mas para mim isso já chega. Já me tomou o bastante. Não quero ler por obrigação, mas, sim, por prazer, como sempre deve ser. Livrar-me de minhas metas, mesmo que em pensamento, fez com que eu me sentisse mais livre e leve para decidir o que ler ou não ler. As metas pessoais também fracassaram, mas essas estou tentando não lembrar, pois eram ainda mais importantes para mim. No momento o que importa é que estejamos todos juntos, mesmo que não fisicamente, e bem.

  2. Cara, esses tempos onde a gente parece que tá numa montanha russa tão acabando com todo mundo em diferentes niveis né?!
    Depois de quase 5 meses trancada em casa, eu ando priorizando a minha saúde mental sabe. Eu cheguei num nivel de simplesmente ficar apática a tudo, ai eu precisei dar uma freada e agora eu só faço o que me da vontade, tudo que eu tinha planejado tanto pro blog, quanto pra vida, quando pra carreira, foi tudo interrompido e isso me impossibilita de tudo, eu não posso mais sonhar sabe? Eu só posso pagar as contas e tenho que me dar por feliz. Eu tô tentando focas nas coisas pequenas pra ver se algo funciona e tem funcionado bem, vamso ver até quando né!
    Parabéns pelo desabafo, faz com a gente se sinta menos sozinha!

    1. Obrigada. Estamos juntas. Isso de não poder realizar todas nossas metas, sonhos e desejados para esse ano nos dá uma sensação de impotência, né? Eu me sinto impotente, presa, incapaz, mesmo sabendo que não é minha culpa. E isso machucada, dói, sufoca. Infelizmente não sabemos quantos meses a mais continuaremos assim, e por isso devemos tentar nos manter sãos, bens e capazes. Deixar as metas um pouco de lado e focar em nossa saúde mental, que é o mais importante no momento. E sim, ficar feliz com as coisas pequenas é ótimo nesse momento, devemos priorizar cada conquista, por mais mínima que possa parecer. Somos fortes e temos que celebrar isso.

  3. Oiiieee

    Eu também me auto sabotei por muito tempo, querendo ler livros que na verdade eram só por causa de metas ou parcerias, ou apenas para agradar e trazer conteudo diversificado para o blog e conclusão: acabava sofrendo porque me forçava a ler coisas que não queria e nem desfrutava. Hojejá não fiz parcerias este ano, não me forcei mais TBR nenhuma e leio o que me dá prazer, ainda que sejam 15000 livros do mesmo gênero ou estilo.
    Com essa pandemia, os planos de todos foram interrompidos mas sabe , agora é um momento de reclusão, que a gente tem que ser forte e saber que vai passar, confiar que vai passar e torcer para que ocorra com menos danos. Mesmo que alguns planos tenham sido atrasados, confie que vai dar certo, eu sei que no panorama atual é complicado, mas vamos seguir acreditando.

    Beijos. Ivy

    http://www.derepentenoultimolivro.com

    1. Infelizmente blogs e parcerias têm esse lado ruim, pois, querendo ou não, nos obrigam a ler coisas que não desejamos no momento ou que nem faz parte do tipo de leitura que nos agrada. Graças a Deus eu tenho ótimas parcerias, com editoras que eu realmente consumo e admiro, então os livros que recebo geralmente são do meu agrado, mas nem sempre estamos dispostos a ler esses livros, né? Mesmo que queiramos muito, às vezes só queremos pegar algo da estante (ou do Kindle) e nos dedicar aquela leitura que tanto nos chama a atenção. Tenho planos para que no ano que vem (olha eu de novo!) eu não me candidate tanto assim a parcerias e nem coloque metas na minha leitura, começando a mudar desde agora. Preciso deixar esse espaço mais com a minha cara e com o que eu gosto, e não me prender ao que está na moda ou no hype. Devemos falar sobre o que gostamos e lermos o que queremos. Apesar das circunstâncias, o livro é o que está nos salvando da insanidade, e por isso é pior ainda que tenhamos essas amarras com histórias que não agradam ou não fluem.

  4. Oi, Thainá!
    Entendo perfeitamente o que você tem passado. Eu estou na mesma vibe que você, durante a quarentena eu poderia ter dobrado o número de livros lidos, mas acontece que mal saí de 20 livros esse ano. Pior ainda, deixei de atualizar o blog com resenhas já pendentes, chegou ao ponto de nada me animar. As meninas que fazem parte do blog também estão na mesma situação, uma delas inclusive decidiu não participar mais e fiquei muito triste com isso, mas entendo que cada um tem uma forma diferente de lidar com o que está acontecendo.
    O pior de tudo é que às vezes eu me comparo com vários blogs e IGs literários que estão produzindo a torto e a direita, fotos e posts diários, leituras a mil… E a gente se pergunta se tem alguma coisa errada com a gente e a resposta é não. Cada um lida de uma forma diferente e cada um tem uma rotina totalmente diferente da outra pessoa.
    Gostei muito do seu texto, me vi muito nele e ele me inspirou também a postar no meu blog. Continue firme e forte, tudo isso vai passar e só precisamos nos concentrar em nos manter bem com nós mesmas.
    Bjos
    Lucy – Por essas páginas

    1. Oi, Lucy. Obrigada pelo comentário, fico muito feliz em saber que te inspirei a voltar para o blog e espero que, de alguma forma, isso tenha te deixado um pouco feliz também. Acredito que a comparação é inevitável, ainda mais quando acompanhamos diariamente os produtores de conteúdo maiores. Vejo o povo fazendo live, sorteio, vídeos à rodo, e também me pergunto como conseguem. Como está a cabeça dessas pessoas? Fazem lives de leitura, leem diversos livros ao mesmo tempo e vários durante a semana, e mesmo assim se mostram bem, contentes. Como conseguem? Eu mal ando conseguindo me concentrar em um livro por vez. Essa semana por exemplo não postei aqui e nem no Instagram, e sinto que isso será péssimo para o blog, pois a interação e o retorno caíram consideravelmente, mas às vezes não dá. Não dá vontade e não dá para nos obrigarmos a isso. O importante agora é cuidarmos de nós, lermos quando quisermos e pararmos de cobiçar a grama do outro, o que é difícil, eu sei. Mas devemos focar em nós e apenas em nós.

  5. Olá, moça bonita!
    Os tempos são difíceis, realmente, mas acho que você,pela sua postagem, consegue manter a organização das ideias.Nunca fiz metas por dificuldade em cumprir, seguir até o final, então, tem mês que leio dez livros e no outro, uma página, e assim vai funcionando para mim

    1. Quero ser mais assim, espontânea. Mesmo que eu consiga colocar as ideias em ordem, acho que se me arriscasse mais as coisas fluiriam melhor. Mas já estou colocando isso em prática.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *