Literatura

Resenha: “2084: Mundos Cyberpunks” – Vários autores (+SORTEIO)

Assisti Blade Runner 2049 recentemente para me preparar para uma campanha de RPG Cyberpunk e também, para adicionar no complemento, comecei o anime Evangelion. Foi então que percebi que 2084: Mundos Cyberpunks estava na lista de espera de parcerias, pronto para ser lido.

Momento perfeito para fazer a leitura, não é? Então o peguei e iniciei a leitura. Acredito que o li em menos de 2 dias, de tão fluido que a leitura foi. Mas, infelizmente, as histórias no geral não me cativaram tanto quanto a sua ambientação.

Leia também: Aurora Estelar, de D. R. Laucsen

Título: 2084: Mundos Cyberpunks
Organizadora: Lidia Zuin
Vários autores
Quantidade de páginas: 224
Editora Lendari
Gênero:
 Ficção / Ficção Científica
Ano: 2020
Skoob: Clique Aqui
Compre: Amazon | Lendari Store
Minha classificação: ★★★ (3,5/5)
* Livro cedido pela editora

Bem-vinde a 2084!

Cyberpunk é um subgênero alternativo de ficção científica, conhecido por seu enfoque de “Alta tecnologia e baixa qualidade de vida” (“High tech, Low life”) e toma seu nome da combinação de cibernética e punk alternativo (via Wikipédia). Agora que você já sabe um pouco sobre o que se trata o subgênero Cyberpunk, vamos falar sobre o livro.

2084: Mundos Cyberpunks trata-se de uma antologia nacional que contém contos variados de ficção científica com o foco em trazer essa nova visão para o ano de 2084, onde, supostamente, a tecnologia já está avançada e inalcançável. Junto com isso, também vem a crítica ao governo usurpador e autoritário e a reflexão sobre o que faz cada um de nós humano.

Reprodução: Biblioteca Pessoal

Dito isso, conheça os meus contos preferidos e suas abordagens dentro desse mundo:

Filhos da Caatinga e do Metal, de Laisa Ribeiro:
Aqui conhecemos Madalena, uma ginoide que tem como missão encontrar as pessoas que estão cultivando clandestinamente na fazendo de seu dono e matá-las. Porém, ao conhecê-las, Madalena verá a humanidade nessa família e em si mesma, começando assim a refletir sobre seus próprios valores e decisões.
Além de eu ter adorado a escrita da Laisa, também adorei a maneira como ela conduziu a sua história e me fez ficar cativada pela Madalena e suas convicções. O desfecho chega rápido, mas deixa um gostinho de quero mais, nos deixando com um desejo profundo de continuar acompanhando Madalena.

Caminho para o futuro, de Wander Shirukaya:
Carina perdeu o marido e agora batalha para conseguir todos os bens que têm direito. Porém um pequeno, mas forte, detalhe nas leis poderá se tornar um grande empecilho para ela.
Eu fiquei bastante tocada pela história da Carina e de como aquele turbilhão de negativas a estava afetando. Novamente teremos uma discussão sobre o que faz uma pessoa ser humana e o que nos difere tanto assim de IAs.

Um bom momento para abrir mão de seu plano de saúde premium, de Ricardo Celestino:
Acredito que qualquer detalhe sobre essa história pode estragar a surpresa que os acontecimentos trazem. Mas gostei dela, principalmente, por explorar algumas mulheres buscando por vingança contra uma empresa malfeitora e mal caráter. Inclusive, adorei cada parte dessa vingança e fiquei em êxtase quando percebi sobre o que realmente era.

Sociologia do futuro ou uma segunda-feira qualquer, de Eduardo Canesin:
Edgar é um exímio trabalhador. Cumpre todas as suas cargas horárias e, de quebra, ainda tem tempo e disposição para realizar horas extras. Isso se deve aos dispositivos splats, que fazem com que as pessoas necessitem apenas de 1h:30m de sono, acordando sem cansaço e sem moleza. O trabalhador que adquire tal benefício se mantém a frente das pessoas que o repudiam e o mercado de trabalho lucra ainda mais com essa nova maneira de exploração.
Talvez o conto que tenha mais me assustado, por conta de uma realidade que parece tão crível e fácil de acontecer, ainda mais no país em que vivemos. Foi uma história melancólica que me deixou extremamente triste e para baixo, mas que também trouxe reflexões necessárias.

A última transgressão de Lloyd Simcoe, de Rafael F. Faiani:
Newt tem um plano perfeito de como encontrar Lloyd Simcoe e dá-lhe o que merece, isso tudo através da rede, com cada passo meticulosamente pensado. Mas será que sua vontade será realizada e suas ações resultarão no que tanto deseja?
O que mais me fez gostar dessa história foi o elemento da surpresa ao final. Não esperava pelo o que ia acontecer e nem de longe imaginei que seria daquele jeito. No final eu apenas vibrei junto com Newt e seu plano mirabolante.

A verdade em 2084, de Dante Saboia:
Em um texto polêmico e que pode valer a sua vida, Dimitri Santini discorre sobre a separação do povo rico e do povo pobre em 2084, sendo essa separação feita através de andares. Dizendo também como a hipocrisia e as diferenças de classe ainda reinam no novo mundo.
Confesso que o que eu mais gostei nesse conto foi as linhas finais. Não esperava por tal revelação e me senti indignada com as palavras que li. Não posso falar mais das minhas sensações, mas posso dizer que fui enganada e que a indignação me dominou por completo ao final da leitura (não pelo autor, claro, mas pelo cinismo do protagonista).

Reprodução: Biblioteca Pessoal

Entretanto, o meu fascínio com o cenário não foi o bastante para que minha imersão tenha sido satisfatória por completo.

Eu tive alguns percalços durante a leitura. Mesmo que eu tenha adorado alguns contos, outros não fizeram muito o meu gosto pessoal, sendo esses confusos e alguns eu não entendendo absolutamente nada. Acredito que isso possa ter acontecido por eu não ter o costume de ler sci-fi, muito menos histórias com ambientação cyberpunk, então por isso acabou causando essa estranheza com os termos e frases complexas.

Contrapondo a isso, a leitura é fluida e rápida. Como os contos são curtos, com cinco páginas no máximo, você lê muito rápido e nem percebe que já está na metade do livro. Isso fez com que eu o devorasse, lendo mais de 50% em um dia. Sendo assim ideal para curar ressacas literárias e maratonas!

Vou abrir outro adento e confessar que eu senti falta de mais escritoras mulheres. E sei que isso não é culpa de ninguém, que fique claro. Até porque a própria organizadora é uma mulher. Mas isso me fez pensar no porquê as escritoras de sci-fi não se arriscam mais dentro desse gênero que, inclusive, é um ótimo lugar para se criar críticas e reflexões atuais. Gostaria que mais tivessem se candidatado a essa antologia, pois seria incrível vê-las nesse trabalho tão dedicado da Lendari (que é uma editora maravilhosa de se trabalhar).

Por mais que eu indique a antologia aos fãs do gênero e de contos, eu não sei se é uma boa maneira de iniciar no gênero. Ao menos para mim não deu certo, então, ao meu ver, acho que os leitores devem estar mais familiarizados. Se você é fã de sci-fi, tenho certeza que não terá o mesmo problema que eu e que irá aproveitar muito mais cada conto! Vai fundo!

Você gostaria de ganhar um exemplar desse livro?

Então essa é a sua chance! Eu estarei sorteando o meu exemplar, no qual eu li, entre todos os leitores que deixarem um comentário nessa resenha. Mas lembre-se: o comentário deve fazer sentido com o teor da resenha, então não comente qualquer coisa ou será ignorado. Deixe também, junto no comentário, o seu e-mail para que eu possa entrar em contato com o ganhador.

As regras são as seguintes, então:
– Deixe um comentário coerente sobre o livro nesse post + o seu e-mail.
– Você deve residir no Brasil.
– O sorteio será feito quando a resenha chegar aos 10 comentários.
– Eu terei até 15 dias para enviar o livro.

Obs: é um sorteio de desapego, ou seja, o livro era meu e passará a ser seu. Ele está em ótimo estado de conservação, sem marcações ou rasuras. Pode confiar!

Boa sorte!


💻 Me acompanhe nas redes sociais:
FanPage | Skoob | Instagram | Pinterest

Receba todas as nossas novidades:

2 thoughts on “Resenha: “2084: Mundos Cyberpunks” – Vários autores (+SORTEIO)”

  1. Olá, amiga! huahuahuahuahuahuahuahuahua

    Nunca li nada a respeito de cyberpunk, mas sempre achei a temática do gênero muito legal. Um futuro com tecnologias impossíveis e governos ditatoriais fazem jus ao meu gosto. Eu, particularmente, leria sempre tive curiosidade. Então, só posso dizer: EU QUERO! Quero ler o conto da Laisa Ribeiro. O.O
    huahuahuahuahua
    Ps.: lendo você falar da antologia e todo o conteúdo futurístico presente, acho que em breve escreverei um livro com essa temática. Eita!

    E-mail: karolini.barbara@gmail.com

    https://www.jinformal.com.br/

  2. Olá *-*
    Embora eu goste muito do gênero, sci-fi. Confesso que ainda não me aventurei no subgênero, Cyberpunk. Mas pelos pontos que
    você ressaltou da antologia, os contos me chamaram muito Atenção. Principalmente por gostar tanto de ler contos.

    Email: nikitadvak@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *