Literatura

Resenha: “Pequeno Manual Antirracista” – Djamila Ribeiro

Ano passado eu tive o meu primeiro contato com a escrita da Djamila Ribeiro através do livro Quem tem medo do feminismo negro?, e logo de cara me apaixonei por sua sinceridade, modo de se expressar e temas abordados.

Para aqueles que não a conhecem, Djamila Ribeiro é uma mulher negra, filósofa e feminista, que ficou conhecida por conta do seu ativismo contra o racismo, se tornando assim uma das principais vozes nessa luta. Ela também é colunista no site da Folha e utiliza esse espaço para conscientizar os leitores em diversos assuntos, como por exemplo, em seu texto mais recente ela abordou sobre o amadurecimento prematuro e forçado em que as mulheres são impostas.

Por isso, e também por ser uma mulher maravilhosa, Djamila é alguém que deve ser ouvida e lida por todos, independente de qual raça ou gênero você pertença. As palavras da Djamila precisam alcançar o mundo, pois assim, e apenas assim, nós conseguiremos ter um mínimo de fé em uma suposta mudança.

Título: Pequeno Manual Antirracista
Autora: Djamila Ribeiro
Quantidade de páginas:
 136
Editora Companhia das Letras
Gênero:
 Não-Ficção / Filosofia
Ano: 2019
Skoob: Clique Aqui
Compre: Amazon
Minha classificação: ★★★★★ (5/5)

10 lições para entender e transformar o racismo

O exemplar de Pequeno manual antirracista é pequeno apenas em tamanho, pois seu conteúdo é imenso e enriquecedor. Através de dez lições simples e objetivas, Djamila aborda com clareza como o racismo se tornou atualmente um movimento social, um problema de todos.

Mas o que ela quer dizer com movimento social? Isso se dá devido ao racismo ser uma atitude conjunta e não individual. Você pode até se afirmar uma pessoa que não é racista, mas do que vale dizer isso quando alguém, seja seu amigo, seu chefe ou até um desconhecido, denigre a integridade de uma pessoa negra ou até mesmo conta uma piada racista na sua frente e você não faz nada?

Você não o corrige, não o afronta, não o problematiza ou nem mesmo aponta o erro de tal ação. Do que adianta? E é nisso onde o movimento social entra: torna-se um dever de uma pessoa antirracista falar, se impor e mudar o ambiente ao seu redor. Não basta falar da boca para fora, também tem que agir. E essas ações se tornaram, mais do que nunca, necessárias nos dias atuais.

Se você é do tipo de pessoa, e eu espero que não, que diz por aí que tudo isso é mentira, inclusive o próprio racismo, esse livro é mais do que necessário para você. Djamila, como em outros textos, embasa todas as suas opiniões em pesquisas, dados e casos reais. Nada é inventado, como alguns podem afirmar.

A autora retrata a realidade do povo negro, e isso faz com que o texto seja verdadeiro e tocante. Nada do que está retratado no livro serve para sentir pena. Claro que não! Nunca pensem isso! Os textos crus e reais da Djamila nos fazem refletir sobre nossas próprias atitudes e nos fazem agir imediatamente, assim nos mudando por fora e por dentro.


“(…) Portanto, frases como “eu não vejo cor” não ajudam. O problema não é a cor, mas seu uso como justificativa para segregar e oprimir.”

Reprodução: Biblioteca Pessoal

Textos reflexivos e que mudam o interior de cada leitor

Os textos da Djamila sempre me tocam e me comovem de uma maneira intensa, singular e particular. Não sei como explicar isso. A cada texto que leio da autora consigo admirá-la cada vez mais ao mesmo tempo em que me modifico e me torno uma pessoa cada vez melhor.

Esse pequeno, mas singelo, manual nos mostra como o racismo está escondido nos detalhes e como podemos combatê-lo no dia a dia socialmente. Não basta que não sejamos racistas dentro de casa ou enquanto assistimos televisão, e esse manual mostra perfeitamente isso. Tem que haver uma mudança, seja de sentido ou de ação, e isso deve ser coletivo. A mudança e o antirracismo devem ser coletivos.

Confesso que gostaria de dar um exemplar desse livro para todas as pessoas que conheço, porque ainda há muito o que rever nas ações, nas falas e nos pensamentos. E espero que, mesmo aos poucos, esse livro vá mudando isso nas mãos – e mentes – em que chegar. Eu aprendi muito com cada texto e sei que esse aprendizado também chegará aos demais leitores.

Um livro que serve tanto para ler de uma vez só como também para ser estudado e recorrido diariamente. Por isso – e por todos os outros motivos – acredito que Pequeno Manual Antirracista é uma obra essencial tanto para pessoas racistas como também para as que não são, ou seja, para todos os seres humanos conscientes que buscam por uma transformação ideal.


“O racismo é, portanto, um sistema de opressão que nega direitos, e não um simples ato da vontade de um indivíduo.”


💻 Me acompanhe nas redes sociais:
FanPage | Skoob | Instagram | Pinterest

8 thoughts on “Resenha: “Pequeno Manual Antirracista” – Djamila Ribeiro”

  1. Eu amei essa resenha e já quero ler esse livro porque infelizmente existe muitas atitudes racistas que temos que lutar contra todos os dias, tenho certeza que todo negro já sofreu algo e isso é doloroso, não conhecia a Djamila e já quero muito ler todas as obras desta mulher. Obrigada pela dica e já adicionei no skoob.

    1. Que bom ler isso! Fico muito feliz em ter despertado curiosidade sobre a obra da Djamila, que inclusive recomendo todas, até mesmo as que ainda não li. Exatamente por isso que você disse esse livro se faz tão necessário, pois poderá abrir a mente de muitas pessoas e conscientizar muitas mentes. Assim espero.

  2. Eu adoro os posts que ela faz no instagram, mas ainda não tive oportunidade de ler algo dela. No projeto que eu tô organizando esse ano, tem um livro dela na TBR e eu tô bem ansiosa pra ler!
    Racismo é um negócio muito pesado, eu sou branca e acho que cabe a mim entender isso e dar voz a discursos que sejam de pessoas que sofrem com isso, minha esposa me conta cada coisa que chega a dar dor no coração, é muito surreal.
    Aorei a resenha!

    1. A Djamila é uma pessoa incrível, né? Também a acompanho nas redes sociais e estou sempre me atualizando em seus textos que são tão necessários e informativos. O meu pai é negro, mas por sorte nunca presenciei nenhuma situação difamando a pele dele, mas, mesmo assim, surge aquele medo de ainda acontecer.

  3. Oi

    Bom, eu amo Djamila demais. Acho seus livros necessários e até as postagens dela no Instagram.
    To na fase de indicar esse livro para todo mundo pela necessidade que ele se faz na sociedade atual, ainda mais aqui no Brasil né.

    Silviane, blog Memento Mori• Siga no Instagram: @kzmirobooks

    1. Concordo com você! Eu também estou indicando esse livro para todo mundo, para todas as idades e todos os públicos, pois acredito que é necessário para todos. Seria ainda mais incrível se fosse lido e estudado nas escolas, pois vejo um grande potencial nisso.

  4. Oi Thainá.

    Estou conhecendo este livro através da sua resenha e amei porque é um assunto muito sério, importante e necessário. Este livro é aquele essencial que todos os leitores tinham que ler. Já adicionei na minha lista de desejados, pois fiquei bem curiosa. Parabéns pela resenha.

    Bjos

    1. Obrigada! Também acho que todos deveriam ler, independente de ideais, preconceitos ou opiniões, pois é um livro que traz um assunto importante e de fazer bastante informativa. Espero que alcance bastante leitores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *