Literatura

Resenha: “Massacre no Acampamento Pornô” – Cláudia Lemes

O meu primeiro contato com a escrita da Cláudia Lemes foi no ano passado através de seu conto na antologia Creepypastas. Por mais que esse texto em específico não tenha me chamado tanta atenção, continuei admirando de longe a autora e desejando cada obra que era lançada por ela.

Quando saiu o financiamento coletivo de Eu Vejo Kate não pensei duas vezes e logo contribui para ter os dois livros em casa. Admito que ainda não os li, mas assim como outros títulos da autora essa duologia também é uma grande aposta para mim.

Como, em fevereiro, eu queria ler histórias mais curtas, aproveitei meu momento de ressaca literária para mais uma vez me arriscar em obras da Cláudia, e dessa vez fui pega de surpresa e arrematada instantaneamente. Massacre no Acampamento Pornô me deixou de boca aberta ao mesmo tempo que encantada.

Título: Massacre no Acampamento Pornô
Autora: Cláudia Lemes
Quantidade de páginas: 39
Publicação Independente
Gênero:
 Ficção / Terror
Ano: 2019
Skoob: Clique Aqui
Compre: Amazon
Minha classificação: ★★★★★ (5/5)

O slasher oitentista de volta à Literatura

A produtora Fuckshow 9, uma produtora falida de filmes pornográficos, está prestes a gravar o seu último filme. Pamela, que participará pela primeira vez desse tipo de filme, contracenará com os famosos Cowboy e Motoqueira no longa intitulado como Pinheiros de Alegria

O grupo de filmagem junto com os atores dirigem-se então no final de semana para a Floresta Imperial Pines, onde o filme será gravado. Porém eles não esperavam por duas surpresas: a primeira, que Louie, o irmão mais novo de Pamela, seguiria viagem escondido com eles; e a segunda, que uma lenda local sobre um tal de Lenhador é fruto exatamente da Floresta Imperial Pines.

Massacre no Acampamento Pornô é uma noveleta inspirada em filmes clássicos de slashers dos anos 80. Por ser uma história curta, a leitura acaba sendo rápida e bastante satisfatória para os fãs do gênero, trazendo assim o melhor dos clichês oitentistas.


“A Criatura se virou para Dan e ele teve certeza que estava olhando para algo cujo combustível era um Mal antigo e monstruoso.”

Uma ótima homenagem ao gênero slasher

Eu gosto bastante de filmes de terror que são considerados clássicos, principalmente os que são classificados como slasher, gore e trash. Por isso, a leitura não poderia ter sido diferente para mim, fazendo assim com que eu me envolvesse e adorasse a história.

O conto cumpre com o seu objetivo que é justamente homenagear histórias dos anos 80 que eram do gênero slasher; histórias essas que eram cheias de humor desbocado e cenas sangrentas. Inclusive a escrita da Claudia casa muito bem com esse tipo de narração, já que é engraçada, sem pudor, crua e bastante imersiva, sendo claramente classificada para maiores de 18 anos.

A noveleta é divertida, sangrenta e traz uma boa história, me deixando ao final cheia de saudade dos filmes trash que amo. Para quem procura uma leitura fluida e rápida e gosta do gênero, a indicação torna-se certeira.


💻 Me acompanhe nas redes sociais:
FanPage | Skoob | Instagram | Pinterest

Receba todas as nossas novidades:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *