Literatura

Resenha: “Os Arquivos do Padre Miguel” – Vários autores

Olá, leitores!
Como vocês estão? A sua cidade já entrou em quarentena? E você, já está podendo ficar quietinho ou quietinha dentro de casa? Sei que esse é um momento complicado e difícil, ainda mais para aqueles que não estão levando essa pandemia a sério, mas espero que em breve possamos estar todos bem, seguros e reunidos com quem amamos.

Não é fácil ser produtivo nesse momento, então aproveito esse espaço para dizer que você não deve cobrar da sua mente um esforço e uma atenção, as quais ela não está conseguindo focar atualmente. Mesmo sendo difícil, tente relaxar e, se possível, ficar no conforto de sua casa. Não se cobre para ler todos os dias, o dia inteiro. A sua mente pode não estar preparada para isso e nem para o isolamento social. Dê um tempo para você mesmo.

Dito isso, sigo para a resenha de hoje que é sobre mais uma antologia de terror. Sei que falei nas últimas resenhas que eu daria um tempo de antologias, mas não consegui. Continuei com esse tipo de leitura e agora, acho, estou conseguindo aproveitar melhor cada uma, assim como aconteceu com essa e com Um Cantinho Todo Meu.

Título: Os Arquivos do Padre Miguel
Vários autores
Quantidade de páginas: 140
Editora Sinna
Gênero:
 Ficção / Terror
Ano: 2020
Skoob: Clique Aqui
Compre: Sinna
Minha classificação: ★★★★ (4/5)
* E-book cedido pela editora

Um diário, inúmeras perturbações

Durante a década de 90, no Rio de Janeiro, o famoso Padre Miguel presenciou muitos casos sobrenaturais e angustiantes. Para manter intacto a memória de cada caso, de cada tormento e de cada vítima, o Padre escreveu um diário, esse recheado de relatos e conhecido por grande parte da população.

Com isso, 15 autores e autoras reuniram-se para compor a antologia Os Arquivos do Padre Miguel com contos que abordam casos presenciados pelo próprio Padre, colocando-o assim como o personagem principal da história, como também com casos que de alguma forma o religioso teve contato, mesmo que não diretamente.

A antologia tem uma boa mescla de gêneros e sensações, indo de um terror mais leve em certos contos, passando por uma atmosfera frenética de suspense em outros e chegando até o gore nos demais. Isso se deve à particularidade da escrita de cada autor e autora, que inclusive me surpreenderam bastante com o teor sobrenatural e os diversos sub-gêneros do terror.

Reprodução: Biblioteca Pessoal

15 contos, 15 histórias insanas:

A antologia é iniciada com o conto Objetos Peculiares, da autora e organizadora Geana Krause, onde somos apresentados aos irmãos Ricardo e Evandro e ao relicário que ficou de herança familiar para os dois. Nesse breve contato que teremos com o local e os novos donos, descobriremos que cada objeto aceito ali tem a sua própria história, e que nem todas elas são livres de perturbação, sofrimento e muito sangue.

Em seguida temos Faixa n°03 – Canto Invertido, da autora Gabriela Leão, um dos meus favoritos do livro. Nesse podemos sentir uma leve áurea de nostalgia, já que a história aborda uma lenda conhecida por nós brasileiros: o mistério de certa música tocada ao contrário. Depois há A Noite Mais Escura, do autor S. Guerra, que mostra partes dos diários de algumas colegas de turma que são obrigadas a fazerem um trabalho escolar juntas. Após uma visita ao Museu, Eliana, a garota considerada estranha, começa a agir de forma ainda mais preocupante e assustadora.

Em Olhos no Retrovisor, do autor Marcus Hemerly, encontramos mais um conto inspirado em uma lenda, dessa vez naquelas histórias assustadoras sobre caronas que não dão nada certo. Depois temos A Fera, da autora Letícia Mendes, que tem como protagonistas o Padre Miguel e uma freira, não nomeada, ambos em busca do que está por trás de um urro devastador e agonizante que eles escutaram durante a noite.

As Bonecas Gêmeas, do autor Agnaldo Alves, aborda um grupo de amigos que decide sair em busca do famoso diário do Padre Miguel. Ao terem o objeto em mãos, deixam a curiosidade os dominar e leem um dos relatos descrito entre as folhas, resultando em uma catástrofe e um medo imensuráveis. Em O Confessionário, do autor James Gallagher Junior, também temos Padre Miguel como protagonista, mas agora tendo contato com uma nova e terrível criatura.

Noites Cariocas, do autor Marco Antônio, trará uma nova visão para a lenda do Boca-de-Ouro, nos alertando como sempre devemos andar com um isqueiro no bolso. Em As Crianças Que Choram, do autor P. Cezar, conheceremos Marcos, um homem que ao ser demitido recebeu apenas um quadro em troca de seus anos de trabalho. Para tentar sustentar a família, ele sabe que será preciso vender o objeto, porém, antes de isso de fato acontecer, o seu pequeno filho começa a conversar com um amigo imaginário que diz morar dentro do quadro.

Logo em seguida temos A Folia dos Bate-Bolas, do autor Rodrigo Ortiz Vinholo, que também se tornou um dos meus preferidos. Nesse conhecemos um pouco da história que ronda o caso misterioso dos bate-bolas e sua possível relação com o assassinato de um amigo do protagonista. Seguimos para outro que também foi favorito meu, O Homem do Saco, do autor Carlos Almeira Junior, que trará uma atmosfera sinistra e sombria para uma lenda que nos era tão contada quando crianças.

Em Vestido Vermelho, do autor Denilson Motta, o Padre Miguel encontra um vestido vermelho largado ao chão na rua, o qual lhe fará conhecer o casal Roberto e Silvia que estão passando por um momento difícil e assustador. O que eu mais gostei nesse conto foi o final, que fugiu do clichê e do que poderia ter sido obvio. Já em A Garota da Curva e o Mistério da Kombi dos Onze, do autor Jonatta Henrique, conheceremos onze jovens amigos que estão viajando pela estrada, conhecendo novos lugares e novos destinos, até que misteriosamente são dados como desaparecidos.

O Espelho de Bloody Mary – A Bruxa, da autora Luísa Novaes, também acompanha uma viagem entre amigos, mas, dessa vez, o destino dos dez jovens está entrelaçado em uma tour pela Região Serrana com direito a visita à Capela do Padre Miguel, o que, infelizmente, não termina como o esperado. Para finalizar temos Oração, do autor Raul Dias, o qual foi a história que achei mais confusa, mas que também, ao mesmo tempo, se mostrou extremamente emblemática e significativa. Nesse teremos uma outra visão do Padre Miguel enquanto ele exorciza um de seus conhecidos, nos deixando atônitos com o desfecho dessa antologia.


“Ali habitava um ser cheio de maldade, um espírito imundo que até o próprio inferno havia rejeitado.”

Você leria um diário cheio de fatos sobrenaturais?

Essa é a proposta da antologia: trazer histórias onde a ficção se passa pelo real, o verdadeiro. Eu pude sentir a atmosfera sombria e pesada de cada história; pude me envolver com cada conto, resultando em uma experiência vívida, como se eu estivesse lendo o próprio diário do Padre Miguel, como se ele realmente existisse.

Como eu disse em algumas resenhas anteriores, gostar de antologias têm sido um árduo trabalho para mim, já que nem sempre eu consigo me envolver com a maioria dos contos. Por sorte, nesse caso, eu consegui gostar muito de todos os contos e ter, no geral, uma ótima experiência de leitura. As criaturas e os medos explorados são diversos, fazendo assim com que, além de ser acessível para todos os gostos, não seja uma leitura repetitiva ou enjoativa.

Por isso, acredito que Os arquivos do Padre Miguel é uma ótima leitura para aqueles que gostam de se aventurar em contos diferentes em um único lugar, sem perder o ritmo acelerado de leitura e a surpresa que cada história nos traz.


💻 Me acompanhe nas redes sociais:
FanPage | Skoob | Instagram | Pinterest

Receba todas as nossas novidades:

18 thoughts on “Resenha: “Os Arquivos do Padre Miguel” – Vários autores”

  1. Oi Thainá

    Menina eu não sou muito de ler livros de terror não, por mais que muitas vezes eu até me interesse por eles, os poucos que livre me deram problema para dormir kkkkk, então eu sempre evito esse tipo de leitura, mas sem dúvidas esse seria um livro que eu leria se eu não fosse uma pessoa tão medrosa, adorei premissa de todos os contos que você citou na resenha!!

    Beijos!
    Eita Já Li

    1. Oi, Alisson!
      Eu estou à procura de livros assim, que não me deixem dormir, me indica aí os que você leu! Hahaha. É muito difícil um livro ou filme de terror me deixar com medo, só se o tema principal foi espíritos, aí eu já não consigo me segurar, rs. De resto é tudo tranquilo. Mas, se um dia você quiser ler algo do gênero, lembre-se dessa antologia. 😉

  2. Olá tudo bem?
    Recentemente comecei a ler mais histórias e contos de terror e tenho gostado bastante desse tema. Também sou fascinada por histórias que mesclam o sobrenatural com a religião e fiquei bastante interessada tanto com a premissa do livro quanto com a sua resenha – que está muito boa. Vou anotar a dica para procurar esse livro depois.
    Beijos

    1. Eu leio muitas antologias, mas estou tentando parar com isso, porque acabei pegando certo ranço desse tipo de livro. Ainda bem que isso não aconteceu com esse da resenha e pude aproveitá-lo muito bem. Super indico se você já gosta de antologias e terror.

  3. Oi Thainá.

    Eu ainda não tive lido nenhuma opinião sobre esse livro e através da sua resenha eu fiquei com vontade de lê-lo. Ainda mais sabendo que é uma ótima leitura para quem gosta de criaturas e os medos explorados. Adorei sua dica. Parabéns pela resenha.

    Bjos

    1. Obrigada, Kênia!
      Espero que mais pessoas possam ter contato com o livro através daqui, pois ele merece muito ser mais conhecido. Espero que aproveite a leitura!

  4. Acredita que ainda não li nenhuma antologia? Tenho algumas no meu kindle, mas ainda não me aventurei. O gênero desse livro é algo que foge totalmente do que estou acostumada, então não me chama tanta atenção, mas fico feliz em saber que o livro, diferente de outras antologias, te conquistou. Pelo o que você contou, parece uma ótima obra para fãs de terror!

    Beijos.

    1. Antologia é uma ótima maneira de conhecer novos autores e um gênero que você não tem costume ou nunca se aventurou, pois como os contos são curtos e rápidos de se ler já dá para ter uma noção do que esperar. Sempre indico para quem quer começar! 🙂

  5. Oi, tudo bem? Não sou muito de sobrenatural, mas gostei da proposta, acho que, mesmo que a narrativa por trás seja inventada, ela confere um quê de realidade. Fiquei interessada e vou procurar, gosto muito de contos, acho que eles são perfeitos para passarmos tempos curtos de leitura. Achei a capa bem bonita, ainda que obviamente sombria, o que dá o ar perfeito aos contos.

    Love, Nina.
    http://www.ninaeuma.blogspot.com

    1. Essa é uma das capas que mais gosto da editora, exatamente por esse ar sombrio e aterrador. Espero que goste dos contos e que a antologia te proporcione sensações incríveis!

  6. Olá

    Vira e mexe tô fuçando editoras no instagram e indicações na Amazon de livros de terror, porque eu tenho uma paixão intensa pelo gênero e leio um por semana.
    Me interessei demais por essa coletânea e acho que vou dar uma olhada no preço para ver se dar para encaixar no orçamento do mês.

    Beijos

    1. A Sinna tem livros por preços ótimos e com edições lindas, eu super recomendo que dê uma olhada na parte de terror da editora. E se você ama o gênero, tenho certeza que irá se deliciar com as outras indicações que faço por aqui, já que também é uma paixão minha. Dá uma olhada nas outras resenhas, vai que mais livros de terror te conquistem por aqui.

  7. Eu tava doida pra ler esse conto do bate-bolas no suburbio. Uma amiga leu e adorou.

    Foi esse que foi indicado ao prêmio da ABERST?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *