Literatura

Resenha: “Juca Pirama – Marcado Para Morrer” – Enéias Tavares

Os livros da Jambô sempre me interessaram, alguns mais do que outros, claro. Mas, como fantasia não é um gênero que dou grande atenção, esses títulos desejados acabaram se perdendo no meio da minha lista gigantesca de leitura.

Por sorte a Jambô me ofereceu Juca Pirama para ler esse mês e, claro, não pude deixar a oportunidade passar. Eu já conhecia o livro e também já tinha vontade de lê-lo, mas como se passaram meses após a sua publicação admito que não lembrava nada da sinopse. Isso não impediu e nem negativou a minha leitura, pois a surpresa que tive com esse enredo e ambientação magníficos valeram toda a pena da espera e esquecimento.

Leia também: Ele tem o sopro do Diabo nos pulmões, de Marcelo Amado

Título: Juca Pirama
Marcado Para Morrer
Autor: Enéias Tavares
Quantidade de páginas: 191
Editora Jambô
Gênero:
 Ficção / Steampunk
Ano: 2019
Skoob: Clique Aqui
Compre: Amazon | Jambô
Minha classificação: ★★★★ 
(4/5)
* E-book cedido pela editora

Um novo Juca Pirama, uma nova São Paulo, um novo mistério

Petrônio Gouvêa, um grande e renomado produtor de café e dono da Gouvêa & Associados, desapareceu em seu quarto sem deixar nenhum rastro. As portas e janelas encontravam-se trancadas por dentro, mas o homem não estava lá.

Com esse sumiço, sua filha mais velha, Cassandra, torna-se a responsável pela empresa da família e pelos cuidados da irmã adoentada Cecília. Porém, mesmo que Cassandra saiba se cuidar muito bem sozinha e, de quebra, também de sua irmã, é necessário que um guarda-costas seja requisitado pelo bem de sua própria segurança, sendo contratado para essa tarefa Juca Pirama, um homem pobre que trabalha com bicos pela cidade e protege os mais desafortunados quando é preciso.

Juca é um jovem, descendente de índios, que, mesmo com o preconceito vivido em alguns momentos, se importa com os outros ao seu redor e tenta cuidá-los à sua maneira. Porém em momento nenhum ele imaginou que os cuidados destinados a Cassandra virariam a sua vida de cabeça para baixo, já que com isso ele acaba tornando-se alvo de membros da Maçonaria, os principais suspeitos pelo desaparecimento de Gouvêa.

A obra se passa em uma São Paulo dos Bravos Bandeirantes de 1907, com uma ambientação steampunk, mas puramente brasileira. O próprio protagonista é inspirado em um poema de Gonçalves Dias, I-Juca Pirama, não sendo essa a única referência que temos da nossa Literatura Brasileira.

Com um mistério por trás da morte de Petrônio Gouvêa, o leitor é levado por um caminho de mentiras, dúvidas e passado, não deixando de lado o bom humor e graça de Juca. Além disso, as personagens femininas da obra são muito bem construídas e diferentes entre elas – e eu amei isso!


“(…) não sendo nem bom nem mau, apenas um sobrevivente.”

Reprodução: Biblioteca Pessoal

Um steampunk nacional imersivo que encanta e diverte.

Um livro curto, mas que demorei uma semana para ler só pra ficar mais tempo na companhia do Juca. Ele é um personagem muito carismático que mesmo em 1907 já se mostra preocupado com o outro e orgulhoso dos locais sociais que as mulheres veem ocupando. Então não teve jeito, ele me conquistou logo no primeiro capítulo quando decidiu defender algumas crianças conhecidas.

E por isso ele é um personagem tão fácil de se gostar, pois ele passa para nós uma sensação de algo que gostaríamos de absorver e sermos mais como ele, mais altruísta, mais companheiro. As personagens femininas não ficam atrás, pois as que ganham destaque são bem construídas e fortemente independentes, mostrando que independente da época há um lugar para elas que será conquistado e tomado. E isso também me encantou. Inclusive, como não amar a Cassandra?

Acho que só não foi um livro perfeito porque eu senti que poderia ter sido muito mais – em questão de tamanho, eu digo -, porém, mesmo assim, foi uma leitura que me encantou e que me deixou com vontade de acompanhar o Juca em outras de suas peripécias. Inclusive não resisti e imediatamente comecei a assistir a série A Todo Vapor, produção da Prime Vídeo, que tem como personagem principal o próprio Juca.

Gostei tanto do universo criado pelo Enéias que pretendo ler as outras obras do autor. Fiquei encantada também por sua escrita – rebuscada, mas fácil de ser entendida – e por seu mundo steampunk totalmente brasileiro e característico.

Para quem está com vontade de adentrar nesse novo mundo steampunk, Juca Pirama – Marcado para Morrer se mostra como uma ótima porta de entrada para o gênero. Um livro que me fez ficar emocionada, curiosa e divertida; uma leitura que quero recomendar para todos.


“Que todas as mulheres pudessem ser livres como ela.”


💻 Me acompanhe nas redes sociais:
FanPage | Skoob | Instagram | Pinterest

Receba todas as nossas novidades:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *