Literatura

Resenha: “O Rastro da Serpente” – Larissa Prado

Após conseguir a promoção do Kindle Unlimited por R$1,99 durante 3 meses, selecionei aqueles livros nacionais que eu mais queria ler e que estavam na minha lista de desejados há meses, alguns até anos, para finalmente dar a atenção devida a eles. O Rastro da Serpente foi um deles.

Com uma capa belíssima e bastante emblemática, O Rastro da Serpente tinha tudo para me agradar e se tornar uma das melhores novelas de terror que já li. Porém algo não deu certo para mim durante a leitura, fazendo assim com que a experiência não fosse exatamente como eu imaginei.

Leia também: Alena, de Kim W. Andersson

Título: O Rastro da Serpente
Autora: Larissa Prado
Quantidade de páginas: 95
Publicação Independente
Gênero:
 Ficção / Horror
Ano: 2019
Skoob: Clique Aqui
Compre: Amazon
Minha classificação: ★★★,5 (3,5/5)

Insanidade, crueldade e tentações

Kyra é professora da educação infantil e nesse momento está passando por um divórcio difícil, sendo obrigada a entregar com urgência para o ex-marido a casa onde reside. Com tudo isso acontecendo, ela se vê em uma situação conturbada, estando instável, emotiva e suscetível a visões e perturbações inomináveis.

Como se essa situação por si só não bastasse, as memórias dos abusos e da violência vivida nas mãos do pai quando ainda era criança voltam de uma vez, pegando-a desprevenida e a sufocando. Mas, calma, tudo ainda pode piorar. Isso porque um novo aluno entra em sua turma, um garotinho chamado Júlio César que parece carregar um mal impiedoso dentro de si e que, talvez, tenha relação com as alucinações que Kyra está tendo por conta de um quadro que ela mesmo pintou (ou não?).

As relações familiares conturbadas mescladas as memórias impiedosas trarão loucura para a mente de Kyra. Será que ela é forte o bastante para encará-las sem se deixar cair em um precipício obscuro e sem volta? O Rastro da Serpente é uma novela de horror que brinca com os piores pesadelos da protagonista e do leitor, fazendo-os duvidarem do que estão presenciando, mas, ao mesmo tempo, deixando-os ainda mais curiosos por tal desenvolvimento.

TW: cuidado com as cenas de abuso e violência! Algumas são bastante fortes e descritivas, podendo deixá-lo muito mais mal do que o aconselhável.


“O problema de vocês é que não podem ver uma mulher reerguida, completa e dona de si mesma. Vocês tratam logo de demonizar. E gritam como bebês chorões: histéricas! Loucas! Possuídas! Cospem essas coisas sobre nós porque têm medo, vocês cagam de medo de uma mulher inteira! Porque são ratos imundos! Ratos em que eu piso e como!”

Reprodução: Biblioteca Pessoal

O Rastro da Serpente é violento, brutal e angustiante

Confesso que estou bem dividida com essa leitura, pois ao mesmo tempo em que gostei eu também não encontrei o que eu esperava. Vou explicar melhor. Eu li esse conto por indicação de um IG literário que confio muito no gosto, e que inclusive parece muito com o meu, e por isso entrei na leitura sem nem mesmo ler a sinopse.

O título também por si só já me chamou bastante atenção e essa capa é linda. Fui lê-lo, então, sem saber o que encontrar, mas pronta para admirar mais uma autora nacional de terror. E de fato, eu admirei muito a escrita da autora e gostei muito de como ela articulou a história, mas lá no fundo acho que eu esperava por algo diferente. Talvez uma trama diferente, ou personagens diferentes, eu não sei.

Só sei que fiquei esperando por algo que não chegou, mesmo que eu tenha gostado bastante da leitura. A escrita da Larissa é muito boa, tanto é que você nem sente o tempo passar. A autora sabe brincar com a sanidade da protagonista e do leitor, e várias vezes me vi pensando se eu estava louca junta com a Kyra. E isso foi sensacional, pois eu senti a loucura da protagonista e comprei o seu sofrimento, tanto é que eu só queria poder abraçá-la e levá-la em um psicólogo.

Com isso, tudo que aconteceu foi uma surpresa pra mim, pois eu realmente não esperava por nada daquilo. Eu adorei o desfecho, mesmo que ele tenha me causado mais dúvidas do que respostas, e fiquei com vontade de ter uma continuação nas mãos. Eu fiquei com vontade de continuar acompanhando a nova Kyra e confesso que leria uma possível continuação sem nem pensar duas vezes.

Por isso, eu recomendo demais para fãs de terror, principalmente para quando precisamos de algo mais curto, mas que não perca a intensidade e coragem por conta disso. Há muito sofrimento, muita agonia, e isso faz com que a leitura seja extremamente pesada, do jeito que eu, particularmente, adoro.


“Até o tempo parecia mostrar a ela que os dias negros continuariam.”


💻 Me acompanhe nas redes sociais:
FanPage | Skoob | Instagram | Pinterest

Receba todas as nossas novidades:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *