Literatura

Resenha: “O Matrimônio de Céu & Inferno” – Enéias Tavares e Fred Rubim

O Matrimônio de Céu & Inferno não é uma HQ fácil de ser lida. Isso porque é repleta de reflexões intensas através de um ritmo frenético e de diálogos complexos, principalmente nas alusões a vivência e obra de William Blake.

Entretanto, isso em nada tira o prestígio da obra nacional ou a curiosidade que os leitores devem ter por ela. Também não deve se ter medo de embarcar em uma história assim. Muito pelo contrário, os leitores devem desejar conhecê-la, desbravá-la e extrair o máximo possível de cada personagem, de cada paisagem e de cada palavra.

Reprodução: Biblioteca Pessoal

Leia também: Juca Pirama – Marcado para morrer, de Enéias Tavares

Título: O Matrimônio de Céu & Inferno
Roteiro: Enéias Tavares
Arte: Fred Rubim 
Quantidade de páginas: 128
Editora AVEC
Gênero:
 Ficção / Policial / Quadrinhos
Ano: 2019
Skoob: Clique Aqui
Compre: AmazonAvec
Minha classificação: ★★★★ (4/5)

Crime, Desejo e Redenção

Em 1792, um demônio apareceu para William Blake contando-o sobre o surgimento e criação da bíblia do inferno. Através desse contato, Blake escreveu o livro O Matrimônio de Céu e Inferno, agregando suas próprias pinturas marcantes à obra.

A partir disso, o autor Enéias Tavares e o artista Fred Rubim criaram uma história original que bebe das referências e reflexões de Blake. Na HQ O Matrimônio de Céu e Inferno, narrativa que mescla a realidade com a fantasia, encontramos cenas sangrentas a lá Quentin Tarantino, recheadas de sangue, sexo e violência.

Aqui, a vida de quatro personagens são interligadas de uma forma nada agradável. Verônica, uma prostituta de luxo, Daniela, uma artista que vende drogas, Amarante, um matador de aluguel, e Maestro Antonino, um religioso famoso e corrupto, são personagens diferentes entre si, mas que trazem camadas e reflexões singulares e significativas para a narrativa, principalmente no ato final quando estão todos juntos no mesmo lugar monstruoso e odioso.

Reprodução: AVEC Editora

O Matrimônio de Céu e Inferno traz uma incrível – e fruto de muito estudo – mescla entre as pinturas de Blake e a história original do presente

Li essa HQ em um dia, em uma sentada. Mas por não conhecer o trabalho de William Blake de antemão, o autor homenageado aqui, tive que levar um tempo para processá-la e também para adicionar à minha bagagem algumas pesquisas, tanto sobre Blake como também sobre suas pinturas e a HQ em si.

À primeira vista, o que mais me interessou na HQ foi o arco principal, onde a narrativa foca em quatro personagens diferentes, mas que têm suas histórias interligadas. Esse arco tem bastante sangue, a lá Tarantino, me deixando cada vez mais animada para o desfecho e para o que poderia acontecer ao mesmo tempo que também tinha o poder de me deixar melancólica com certas cenas e revoltada com outras. Uma mistura de sentimentos que eu gostei de sentir.

Porém, quanto ao arco do próprio Blake e do diálogo entre um anjo e um demônio, eu não tive tanto interesse durante a leitura exatamente por não compreender sua magnitude e importância para a HQ num todo. Eu caí de cabeça nessa história por conta de uma indicação há vários meses e confesso que não lembrava de nada sobre ela, ou seja, nem sobre a referência ao Blake.

Entretanto, após finalizar a leitura eu fiz algumas pesquisas e assisti a algumas entrevistas dos autores, podendo assim captar melhor as camadas e reflexões que a HQ traz. Além disso, outra coisa que também me auxiliou nesse processo de entendimento foi o making of no final das páginas que deixa a mostra cada referência utilizada na narrativa, tudo pensado de forma calculada e através de muito estudo.

Não me arrependo de tê-la lido sem esse conhecimento prévio, acredito que isso só fez com que a minha curiosidade fosse aumentada e que minha vontade de pesquisar nascesse. Apenas atrapalhou um pouco por eu não entender o contexto por trás disso e as próprias referências ao longo do arco principal. Mas, é claro, isso também fez com que eu sentisse a necessidade de uma releitura futuramente quando minhas pesquisas estiverem mais fundadas e embasadas, tendo assim uma nova e ainda mais completa experiência.

Por isso, eu recomendo a HQ para quem quiser lê-la, independente do conhecimento prévio ou não. Basta ter em mente que a HQ por mais que tenha bastante sangue não se apoia apenas nisso, também dando um grande espaço para a reflexão sobre a podridão humana e sobre valores ao nosso redor. Atenção aos detalhes e aos diálogos durante a leitura fazem toda a diferença!

Ademais, O Matrimônio de Céu e Inferno é uma HQ que recomendo demais, principalmente se tiver a chance de conhecê-la em sua versão física para apreciar as cores que fazem parte de todo o processo dos artistas e dos próprios personagens. É uma leitura desconfortável, que incomoda, mas também é de explodir qualquer mente.


💻 Me acompanhe nas redes sociais:
FanPage | Skoob | Instagram | Pinterest

Receba todas as nossas novidades:

1 thought on “Resenha: “O Matrimônio de Céu & Inferno” – Enéias Tavares e Fred Rubim”

  1. Olá Thainá!

    Eu sempre fico interessada com suas indicações, e chego até a ter vontade de me aprofundar mais nas obras que resenha aqui: só que tenho que ter psicológico.
    Tem uma obra do Enéia Tavares que estou querendo muito, foi um livro publicado pela Darkside, seria meu primeiro contato com a narrativa do autor e os enredos criados por ele.
    Ps.: fiquei muito interessada nessa HQ
    Ótima resenha!

    Karolini Barbara
    @karolinibarbara_

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.